quarta-feira, 30 de maio de 2007

Estrada do Sal...

Ponte Romana que liga o Engenho a Azevedo e servia o tráfego do sal e do peixe vindos de Ovar para Porto Carvoeiro - Canedo
Restaurada pela Junta de Freguesia desta Vila

Pormenor ponte Romana

Via Romana Lisboa – Porto
Nas Airas
Pormenor da Via Romana


Sabia que...antigamente, isto é, antes do Império romano, durante Império e depois do Império romano e ainda durante muito tempo não havia auto-estradas, estradas nacionais, pontes, caminhos, etc?
As auto-estradas eram os rios, os afluentes dos rios navegáveis, as picadas para burros, mulas e cavalos e até carros de bois.

Pois fique sabendo que Caldas de Sâo Jorge não tinha esses meios de comunicação de luxo acima referidos.
Tinha sim a Estrada (Via) Romana que passa pelas Airas, vindo Lisboa e seguia para o Porto.
Repare bem a Via Romana estava logística e estrategicamente bem situada.
Vem quase sempre por cima dos morros, montanhas e serras para os viajantes não serem atacados pelos piratas do mar e dos guerrilheiros de terra, do interior! Pudera!

Importante e moderna, sim foi a estrada do sal e do peixe que ligava Ovar a Porto Carvoerio no Rio Douro e dali abastecer as povoações ribeirinhas dessa auto-estrada fluvial.

ATM

7 comentários:

castro e silva disse...

Fala-se que exitiu uma "civitas" a poente da via romana (entre a via ilustrada e a actual estrada nacional n.º1).
Terá sido até anterior à construção do castelo de (Vila)da Feira.
Talvez os registos dessa cidade tenham sido escondidos ou perdidos pela urbanização das Airas.
Em tempos (há varios anos), passou-me pelas mãos um livro que se referia a essa questão: as origens das Terras de Santa Maria.
Sem fazer conjecturas, continuo`a tentar descobrir alguma coisa que sustente melhor esta questão.
Falta-me averiguar na Casa do Infante, no Porto. Talvez aí possam haver alguns registos. Mas será difícil.

Os contributos históricos do P. António Machado são muito interessantes. Seria interessante, um dia, fazer uma compilação.
Fica o desafio...

Anónimo disse...

Nas Airas travaram-se duas das maiores batalhas das Invasões Francesas e também entre Liberais e Miguelistas.
Possivelmente se devam encontrar vestigios enterrados desta duas batalhas!
Duas coisas são certas:
1 - As alminhas comemorativas do acontecimento existentes entre o solar das Airas eo cruzamento dos 17. ( 17 porque a dezassete Kms do Porto).
2 - O oficial francês que foi morto perto da Casa das Ribas e de que não se sabe da sepultura no meo dos matos.
Que Airas tenha tido um castro penso não havaer dúvidas.
O que é certo é que há uma mâmoa ( cemitério antiquíssimo) por de trás do Restaurante Roda da Lage e vestígio de vias antigas!

Anónimo disse...

A Ponte do Pisão (Engenho)não tem nada a ver com "romana". É dos finais do século dezanove. Existe um documento algures que diz o ano da sua construção, bem como da sua irmã gêmea que é a do Mourão.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

SWe não é romana é "romanizada ", românica!
O
De resto o peixe e o sal passavam a nado!
Ou se não pela ponte dos Candaídos há dias inaugurada após o restauro!

Anónimo disse...

A Ponte do Candaídos foi construida
entre 1878 e 1885. (Em 1878 começou-se a estrada Ovar-Carvoeiro
que depois veio a receber a nomenclatura de EN 223 e foi no seguimento dessa construção que se
construiu a Ponde dos Candaídos, também designada Ponte da Saudade).Em 1885 fez-se a estrada que agora tem o nome de Rua António
H. Ribeiro.A ponte "de pedra" construida no "PIZÃO" foi-o entre
1850 e 1870.
A ponte dos Candaídos não foi restaurada, mas sim e só alargado o tabuleiro.
Se o sal e peixes passavam a nado, é possivel, mesmo por gosto e por baixo da ponte.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

Senhor Pinto da Silva, muito bem!
Está muito bem observado!
Parabéns!
Quem sabe, sabe!

Anónimo disse...

Porque raio falta sempre a primeira fotografia ?
Poibem aqui vão mais duas.

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL