segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Caldas de S. Jorge vai ter eleições intercalares ...


Comissão administrativa vai gerir a freguesia até às eleições.


Vai haver eleições intercalares para a Assembleia de Freguesia das Caldas de S. Jorge. A sessão de sexta-feira, da qual se esperavam posições duras dos membros do Executivo em relação a acontecimentos recentes, não chegou a realizar-se, por falta de quorum. Os grupos do Partido Socialista e da “Futuro Já” entregaram ao início da tarde desse dia os termos de renúncia, pelo que o presidente do órgão deliberativo limitou-se a iniciar a sessão dizendo que não haveria sessão. O presidente da Junta, Hermínio Mota, faltou alegadamente porque estaria na Polícia Judiciária a prestar declarações sobre um assalto ocorrido nesse dia nas imediações das Termas.

Os três cabeças-de-lista admitem recandidatar-se.

Leia as opiniões dos protagonistas, na edição impressa do "Terras da Feira"
In Terras da Feira On-line.

3 comentários:

Anónimo disse...

É passado como de conhecimento quase geral e é afirmado por fontes normalmente colocadas em sitios soberanos, que o Candidato sob a sigla PSD e à sombra do emblema das setinhas será o Sr. Carlos Paiva. Assim sendo, esse espaço fica roubado ao Hermínio Mota. Ou vai na lista PSD lá mais para o fundo (há quem dessa família que o não queira), ou recorre de novo ao CDS (será que o CDS de Paulo Portas aceita essa candidatura?) ou organiza uma lista de Independentes. Quando ao FUTURO JÁ garantiram-se que teria praticamente os mesmos candidatos, nomedamente o da cabeça. Por muito que possa parecer estranho, não imagino quem encabeçará pelo PS, pois não foi convocada ainda qualquer reunião da estrutura que tem capacidade estatutária para analisar possíveis disponibilidades e escolher o que pareça ser de escolher. Claro que poderá ser o mesmo se ele e a Secção assim o entenderem. Para que saiam algumas nódoas de algumas cabeças, EU NÃO SEREI. Sem prejuizo de poder integrar a lista lá para o final. É preciso encontrar um mínimo de 14 nomes, sendo um terço de mulheres, no sistema de DOIS/UMA - DOIS/UMA etc.

Opinião de Pinto da Silva

Anónimo disse...

Pena é k apenas o sr. Pinto da Silva se lembre k é necessário e de direito ter mulheres nas listas.
Obrigada pela sua sempre gentil recordação. Realmente já não se fazem cavalheiros assim!
MTS

Anónimo disse...

Pinto da Silva completa:

Não é uma questão de ser necessário ou de direito. É uma questão legal e o juiz recusará qualquer lista de candidatos que não leve, pelo menos, a percentagem de 33,33% de um dos sexos. É que também se não poderia constituir uma lista só de mulheres.

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL