sábado, 6 de outubro de 2007

"HISTÓRIA DO BRINQUEDO" Fabruima - Lambreta de brincar.

Hoje apresentamos uma lambreta ou scooter de brincar fabricada pela Fabruima.Normalmente encontram-se brinquedos antigos em chapa ou lata que são réplicas de automóveis ou então de triciclos. Uma motorizada, uma scooter ou uma lambreta é mais raro.

A juntar ao que foi dito, há a referir que o brinquedo ainda se encontra em razoável estado de conservação e era fabricado em Caldas de São Jorge (Norte de Portugal).
Incluia um sistema eléctrico que activava uma lanterna ( e provavelmente uma buzina). Mas estes são só alguns dos muitos pormenores que tinha: o brinquedo é a pedais, tem travão de pé, a pintura inclui uma matrícula "nacional" para veículos com mais de 50 cc e tem uma roda suplente!Bons tempos em que os brinquedos não eram massificados...

IN- RODAS DE VIRIATO.
http://rodasdeviriato.blogspot.com/search/label/Fabruima

6 comentários:

marlenefpaiva disse...

Caro Mensageiro.
À frase do final do texto que diz. " Bons tempos em que os brinquedos não eram massificados" contraponho dizendo : " maus tempos em que os brinquedos não eram massificados". Julgo que está fácil de perceber porquê.
Em todo o caso , eu percebi a sua ideia.
melhores cumprimentos.

Anónimo disse...

Pinto da Silva entra:

Não quero pronunciar-me sobre massificação ou não dos brinquedos, como de muitas outras coisas. A massificação ocorreu com a grande industrialização e a enorme produção de tudo, nomeadamente a introdução do plástico na nossa vida.
O grande regozijo foi o aparecimento da peça da fotografia. Não haverá outras? Esta era da Fabruima. E não as haverá da Orim, da Sobrinca e da BébéCar? Se há que sejam bem guardadas e, talvez um dia, disponibilizadas para serem apreciadas.

marlenefpaiva disse...

...a massificação permitiu que todas as crianças quase sem excepção pudessem ter brinquedos a preços bastante acessiveis , coisa que antigamente não era possível .
Como não hà míngua que não dê em fartura as crianças de hoje não sabem dar o devido valor ao brinquedos que teem. É claro que os pais também teem uma quota parte de responsabilidade nisso . Mas isso já são outras águas.
A sugestão que dá é interessante. Existe inclusivamente um museu do brinquedo em Sintra. Talvez se encontrem lá algumas peças das proveniências que referiu.

Anónimo disse...

Por que não juntar peças e artigos fabricados antigos e fazer o Museu do Brinquedo Infantil de Caldas de São Jorge?
Seria uma imagem de marca desta Vila!
Já agora sugeria colocar o Museu do Brinquedo no Edifício-Palafita do Ilha-Bar e também com a Loja do Turismo das Caldas de São Jorge de São Jorge.
Senhor Presidente da Junta é só fazer um edifício " ILHA-BAR-PALAFITA maior e não precisa de ter dois andares!

Anónimo disse...

onde poderei arranjar rodas e o logotipo da fabrica fabruima para um restauro que estou a fazer da vespa de pedais?

Anónimo disse...

a uns anos ía o lixo parar ao rio uíma, daí a morte dos peixes, poderá ser que no poço do ria tenha lá alguma coisa da fabruíma, porque nas ruínas da dita nem ferro nas paredes já há...

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL