domingo, 6 de abril de 2008

SEXO – DROGAS – PÍLULAS – MENORES – ASSISTENTE SOCIAL!!!

Estava eu em conversa com um amigo, e veio à “baila” o bairro social. Foi-me dito algo que me perturbou imenso. Segundo ele, a assistente social chamou a maior parte das raparigas do Bairro Social, diga-se a grande maioria menores, e levou-as à farmácia para comprar pílulas. Não deixa de ser curioso, que uma assistente social que nada tem feito para obrigar as menores frequentarem a escola; uma assistente social, que expulsou uma jovem mãe solteira da habitação social, agora se preocupe em distribuir pílulas em vez de criar umas sessões de educação sexual, e mais grave ainda, em vez de se preocupar a fazer teste de HIV e de outras possíveis doenças (DST), anda a promover a pílula a essas “crianças”, deixando de lado e sem informação que o vírus da sida é uma realidade, as hepatites existem, e a lista das (DST) existem inúmeras doenças como; HPV; DIP; LGV; sífilis entre outras, sendo que estas transmitem-se na mesma caso não sejam tomadas outras medidas. Tendo a consequência de quando não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem evoluir para complicações graves como infertilidade, infecções neonatais, malformações congénitas, e aborto (no caso de gestantes), câncer e até a morte.
Estas pessoas que ganham para isso, devem parar para pensar que caminhos estão a levar estas “jovens crianças”!!! É sabido que a toxicodependência no bairro é uma realidade indesmentível. É sabido que esta assistente social mostra-se mais preocupada em ajudar, quem de facto não precisa em detrimento daquelas jovens que tem lutado para ter uma vida melhor, uma família e se possível e porque não um futuro.

Eu nunca estudei esta área de sociologia, nem tão pouco comportamentos de sociedades, mas uma coisa é certa, tudo o que esta assistente social está a fazer no meu ver, não passa de um incentivo à prostituição e quem sabe à degradação da comunidade e o aumento da toxicodependência.
Será esta a assistente social que este bairro precisa???
Será este o caminho mais dignificado da vida Humana???
Para que mentalidade caminhamos???
E em que ano é que estamos???
Depois as pessoas admiram-se, dos problemas das escolas, quando se vê atitudes irresponsáveis de quem devia ter responsabilidade.
Não posso aceitar que uma jovem mãe, solteira, tenha sido posta na rua por estar a viver com o pai da criança, e autorize a promiscuidade, e troca de namorados todos os dias pernoitando os mesmos na habitação. É esta dualidade de critérios que não aceito, muito menos deixar passar em claro pelas entidades oficiais.
Ass: AMMC

7 comentários:

Anónimo disse...

Subscrevo tudo quanto foi dito pelo AMMC e lamento o que se passa nesta terra . Será que ficará assim mesmo, sem que ninguem tome as decisões competentes ?

Anónimo disse...

Isto demonstra a verdadeira anarquia, será que estas pessoas, sabem o que estão a fazer?

Estou chocado com esta situação.

Anónimo disse...

Quando veio a móda de este tipo de habitação social, sempre pensei que iam localizar cancros da sociedade, e estão á vista, em S. Jorge, Lobão, Canedo, Guisande, Vila Deste Gaia, enfim em todo o país, a minha pergunta é a seguinte, não teriam outra forma? ou convinha aos Governantes que fosse assim, na minha opinião vamos ter de comessar outravêz.
As estatisticas dos governos não chegam para tapar os olhos, porque fazem médias, os que vivem muito bem, com os que vivem muito mal e dá uma média razoavel, mas não é disto que Portugal precisa, Portugal precisa é de muito mais classe média.
Sai um bocadinho fora do tema, mas penso que está tudo relacionado

Jervásio disse...

Esta assistente social devia ser banida, das funções que ocupa.
será que ela é tão "curta" cerebral que não entende que está a ajudar. Só ainda não ouvi ninguem das entidades quer religiosas, quer politicas a falarem desta matéria e da legalidade da mesma.

Anónimo disse...

Gostava de ouvir a opinião de duas pessoas sobre este caso; Um é o Sr. José Pinto o outro seria o Sr. Abade António Machado.

Anónimo disse...

Será difícil opinar quem não é técnico da área e sobretudo não se conhecendo o contexto. Todas as abonadas com as pílulas constituem casos idênticos? Será que haverá algumas das moças que tem uma vida com alguma estabilidade, isto é, a formar casal estável e de parceiro fixo? E sempre assim foi? Fez despiste de Doenças Sexualmente Transmissíveis? Se fizeram ambos os parceiros e estão limpos até poderia justificar-se a pílula, acompanhada de mais alguma informação para prevenir contra gravidezes a destempo. E os outros que terão uma vida sexual promíscua, com troca constante de parceiro/a? Houve o despiste de DST? Deu negativo? Nesses casos talvez devessem era aconselhar o preservativo e terem as jovens sessões de aconselhamento sexual.
Pela forma como está o "post" formulado, dá a ideia que o autor/a está bastante por dentro.
Oxalá a(s) assistente(s) social(ais) leiam isto e façam um verdadeiro exame à situação, mas tenho que dizer que acredito pouco que o façam. Por desinteresse? por carência de tempo? Não há dúvida que o problema dos bairros sociais constitui um verdadeiro problema. Sempre me pronunciei contra eles, nas pequenas localidades. Habitações desconcentradas resolveriam bem melhor a situação. Mas os grandes blocos dão fotos mais expressivas para as campanhas. E foram um sorvedoiro de dinheiros mal gastos, com muito
claramente roubado.
O texto do "post" deveria ser passado para os Serviços Sociais da Câmara da Feira.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

É realmente lamentável o que aqui se descreve;
Subscrevo e partilho da preocupação do Administrador do blog, contudo questiono-me se tudo isto, e mesmo a mentalidade desta assistente social, não é fruto da banalização que se criou em torno deste tema ! recordo-me de comentar entre amigos o tipo de reclamos televisivos que eram usados nas campanhas referentes ao uso do preservativo.. do género: se tiveres preservativo podes fazer o que quizeres,.. até mesmo se chegou a vêr policias a mandar abrir o vidro do carro para saber se estavam a usar o dito,.. ou mesmo um padre que tinha o trabalho de abençoar o casal numas escadas depois destes mostrarem o preservativo...
As formas encontradas para sensabilizar os jovens ao uso deste contraceptivo, foi/é sem dúvida um convite à irresponsabilização do acto.
Com tudo isto, não estou a tentar ilibar quem tem responsabilidades nesta noticia, muito pelo contrário, estou só a tentar transmitir a ideia de que, cada vez mais temos a responsabilidade de saber filtrar a informação que nos chega, em particular ao nìvel das televisões e sobretudo para quem tem a responsabilidade na educação de menores.
Penso também, e infelizmente, que este não é um caso exclusivo dos bairros sociais, creio que o que aqui se descreve poderá ser mais visivel nestes locais, mas lamentavelmente vêm-se situações idênticas de uma forma generalizada.

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL