sexta-feira, 16 de maio de 2008

Imaginarius: Colcha gigantesca suspensa na Ponte de D. Luís, entre Porto e Gaia

Porto, 15 Mai (Lusa) - Uma colcha de croché monumental, com cerca de 35 por 15 metros, será suspensa da Ponte de D. Luís, no rio Douro, entre Porto e Gaia, no âmbito do VIII Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira.
A gigantesca colcha, que é da responsabilidade da artista plástica Joana Vasconcelos, denomina-se "Varina" e foi elaborada artesanalmente com a colaboração da população feminina de Santa Maria da Feira.
Esta obra de arte envolveu a participação de mais de mil mulheres de todo o concelho e será suspensa, depois do Imaginarius, que termina sábado, na Ponte D. Luís, um dos monumentos mais emblemáticos da Área Metropolitana do Porto.
Uma fonte do festival disse à Lusa que a data em que esta instalação será suspensa da Ponte de D. Luís será anunciada até ao final da semana, dado estar ainda em estudo, em conjunto com o metro do porto - que gere a Ponte - o Governo Civil e as câmara de Gaia e do Porto.
Esta é uma das produções próprias do VIII Imaginarius - Festival Internacional de Teatro de Rua de Santa Maria da Feira, que arrancou hoje e termina sábado e cujo programa inclui mais de 60 eventos propostos por 21 companhias ou artistas individuais vindos de dez países e três continentes.
O festival tem um orçamento de 415 mil euros, dos quais 250 mil são investimento da autarquia e o restante provém do Ministério da Cultura e de patrocinadores oficiais.
Entre as várias produções próprias do Imaginarius encontra-se o espectáculo "A tradição do antigo teatro de rua no Norte do Brasil", que a companhia brasileira Mamulengo apresentará ao longo de quase 12 horas consecutivas, recorrendo para tal a cerca de 100 fantoches.
Esta constitui a primeira encenação deste espectáculo do Mamulengo na sua versão integral na Europa.
Em destaque está também a companhia Royal Deluxe, de França, que criou expressamente para oitava edição do Imaginarius o espectáculo "A fabulosa história do guerreiro enterrado vivo em Santa Maria da Feira", uma história que será contada ao longo de 15 horas.
O VIII Imaginarius oferece ainda duas outras produções próprias em que o importante é o processo criativo que antecede o resultado final, como acontece com o espectáculo "Onde está o Principezinho?", dirigido por Miloud Oukili, e da "Instável Orquestra", criada e coordenada por Aleksander Caric.
Milhares de jovens estiveram envolvidos nestas duas iniciativas ao longo de vários meses, nomeadamente participando numa importante iniciativa começada em 2007, o projecto "Teatro e Matrimónio", que é retomada este ano por um dos grandes mestres do teatro das últimas décadas, o italiano Eugénio Barba.
A oitava edição do Imaginarius acolhe também duas exposições - "O Mamulengo em mostra", no Convento dos Lóios, e "Spencer Tunick Exhibition", na Biblioteca Municipal.
Para sábado à tarde, na Biblioteca Municipal, está prevista uma conferência com Siza Vieira, Souto Moura e Yehuda Safran, a propósito do tema "Pensar espaço público, desenhar contexto urbano, construir cidade".
O programa do VIII Imaginarius inclui ainda ateliês de formação dirigidos por elementos das companhias Odin Teatret e Titanik Theatre.
PF.
Lusa/Fim

Sem comentários:

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL