quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Requalificação da Rede Escolar de 1.º Ciclo do Ensino Básico

Exmos. Senhores

Envio Regulamento Específico para a Requalificação da Rede Escolar de 1.º Ciclo do Ensino Básicoe da Educação Pré-Escolar e uma notícia relacionada.

É com muita pena e desilusão que constatei que, apesar das diligências efectuadas durante anos pela comunidade escolar de Caldas de S. Jorge (em especial das Associações de Pais) junto da CM Feira, as nossas escolas não foram incluídas no projecto de candidatura ao QREN, encetado pela Câmara. E as sucessivas promessas? Não entendo...
Ainda este ano, a EB1 de Caldelas foi visitada pelo Delegado de Saúde do Conselho que emitiu um relatório onde dava conta da necessidade de requalificar a escola no exterior. O relatório foi enviado ao cuidado do Sr. Presidente da Câmara.
É também do conhecimento de todos que a Pré-escola (JI Igreja) não tem um recinto exterior para que as crianças possam brincar e desenvolver as suas actividades ao ar livre (escandaloso).
Agradeço a divulgação desta informação.
A Mãe desiludida
NOTÍCIA

SM Feira vai investir 5 milhoes no parque escolar do concelho
Em apenas oito anos, a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira canaliza um total de cinco milhões de euros para o investimento na modernização do parque escolar dos ensinos infantil e Básico do 1º Ciclo e no apetrechamento informático das escolas
Local, 22 Mai 2008 in Gabinete de comunicação, relações públicas e internacionais da Camara Municipal de SM Feira

O plano foi iniciado em 2001 e vai estender-se até 2012, agora com o lançamento no terreno da construção de mais quatro centros escolares, num investimento global superior a 3,1 milhões de euros.

Segundo o vereador das Obras Municipais do Município de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa, os quatro novos centros escolares inserem-se num “vasto plano de requalificação, construção e modernização da rede escolar do concelho”, num montante total estimado de cerca de 12 milhões de euros, aproveitando “a grande oportunidade dos fundos comunitários” disponíveis para o efeito no Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) 2007-2013.

A Câmara de Santa Maria da Feira vai receber financiamento para o Centro Escolar de Lobão (investimento de 1,2 milhões de euros), centro escolar de S. Domingos – Argoncilhe (495 mil euros), Centro Escolar da Igreja – Lourosa (997 mil euros) e do Centro escolar do Chão do Monte – Lamas (408 mil euros). A candidatura aos fundos comunitários acaba de ser aprovada pela Entidade de Gestão do QREN, o que, para Emídio Sousa, “representa uma excelente notícia para a comunidade educativa de Santa Maria da Feira, pois temos agora a garantia de mais investimento nas infra-estruturas, concretizando os objectivos da Carta Educativa Municipal”.

O montante global do investimento correspondente à construção dos quatro centros escolares é de 3,12 milhões de euros, dos quais 2,18 milhões de euros são financiados pela União Europeia e o restante, no montante de 937 mil euros, será suportado pelo orçamento municipal.

Em cada centro escolar, as verbas agora definidas contemplam as obras de construção civil, o mobiliário, o material didáctico e o equipamento informático. “Serão quatro escolas modernamente equipadas, que garantem a melhoria das condições de ensino para largas centenas de crianças”, adianta o vereador Emídio Sousa, para quem a aposta na educação “é fundamental para um futuro melhor para todos em Santa Maria da Feira”.

Refira-se que o Município de Santa Maria da Feira, no âmbito da sua Carta Educativa, estruturou a estratégia de intervenção no sector da educação privilegiando quatro eixos fundamentais: a reabilitação do parque escolar; o combate ao abandono e ao insucesso escolar; a melhoria da qualidade de ensino; e uma ligação mais eficaz entre a oferta educativa ao nível da formação profissional e as necessidades do tecido sócio-económico.

Ao nível do investimento em infra-estruturas no Ensino pré-escolar e no 1º Ciclo do Ensino Básico, a construção dos quatro centros escolares, cujas empreitadas serão lançadas no terreno nos próximos meses, representa mais um grande passo na modernização do parque escolar de Santa Maria da Feira, iniciado no ano 2000 com empreitadas num total de 11 escolas do concelho, num plano de investimento que incluiu a construção de novos estabelecimentos de ensino e a requalificação de outros.

Nessa operação de modernização do parque escolar, que foi comparticipada pelo Quadro Comunitário 2000-2006, o Município de Santa Maria da Feira investiu um total de 1,8 milhões de euros. As 11 escolas contempladas foram as seguintes: Jardim-de-Infãncia de Santo António de Escapães; Jardim-de-Infãncia de Canedo; Jardim-de-Infãncia de Gião; Jardim-de-Infãncia de S. Domingos – Argocilhe; Escola Básica 1º Ciclo de Santo António de Escapães; Escola Básica 1º Ciclo de Lobão; Escola Básica 1º Ciclo de Goim Romariz; Escola Básica 1º Ciclo de Pessegueiro – Vale; Escola Básica 1º Ciclo de Santo António Rio Meão; Escola Básica 1º Ciclo de Pereiro – Milheirós de Poiares; e Escola Básica 1º Ciclo de Paços de Brandão.

Para além do investimento em infra-estruturas, a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira apostou nas tecnologias de informação e comunicação nas escolas do 1º Ciclo, tendo investido nos últimos anos cerca de 190 mil euros no apetrechamento informático dos estabelecimentos de ensino e na sua ligação à Internet. Ao mesmo tempo, também com recurso a fundos comunitários, informatizou os jardins-de-infância, num projecto que implicou um investimento global de 65 mil euros. “São investimentos vitais para a modernização do parque escolar e para a melhoria das condições de ensino”, explica Emídio Sousa.

17 comentários:

Anónimo disse...

nem fazem, nem deixam fazer, que raio de vila é esta....quem fica para trás são sempre as nossas crianças ou melhor o nosso futuro como freguesia. É de lamentar que as crianças brincam num recinto onde ficam expostas a vários perigos. Já muitas delas fugiram sem que os professores dessem conta e todos sabemos que a estrada da igreja é muito perigosa. Não deixem por favor as nossas crianças expostas a tantos perigos e a estarem confinadas a um local fechado. Dêem qualidade de ensino às nossas crianças, não as deixem ficar para trás. Apelo à associação de pais que se mexa e una todos os pais para protestarem.
Existe outra situação que me deixou perplexo é que nem todas as crianças podem frequentar a piscina, este ano houve um aumento de 33% na mensalidade, de 18 euros passou-se a pagar 24 euros, isto para pais que têm dois ou mais filhos é insuportável UMA VEZ POR SEMANA? Pagam os pais as obras que a Câmara devia pagar? Para onde vão os muitos impostos que já pagamos? Muitos meninos ficam nas salas, quando os seus colegas vão para a aula de piscina pois os seus pais que já não podem pagar, não seria justo que a câmara disponibilizasse a piscina para todas as crianças de uma forma mais justa? Não terão direito todas as crianças a crescerem saudáveis? Que raio de democracia é esta? Pais unam-se e reclamem direitos para os vossos filhos?
WZ

Anónimo disse...

Mas eu pergunto As idas a piscina é da responsabilidade da câmara?? Penso que não é o Centro Social!! E tem mais será seguro tantas crianças na piscina apenas vigiadas por 1 professoras e 1 auxiliar que fica do lado de fora???
A minha não vai é é pelo dinheiro mas sim pela falta de segurança da situação pois não se admite que um grupo de 15 ou 20 crianças de 3 e 4 anos entrem sozinhas numa piscina apenas acompanhadas por 1 adulto pois se houver azar ele só ajuda 1 de cada vez!!! Penso que é uma situação muito grave esta
Um Pai

Anónimo disse...

Gostava que os amigos bloguista me informassem quantas freguesaias contempladas são da cor laranja (PSD)?

Anónimo disse...

Acho que as crianças estão seguras na piscina, o problema de muitas não irem é mesmo monetário.

WZ

Anónimo disse...

Ao Pai anónimo das 9:29

Se o motivo de não deixar ir a sua ou seu filho ir à piscina é falta de segurança, gostaria que repensasse pois está errado e acredite que é muito bom vê-los felizes dentro de àgua e no final do ano vai orgulhar-se de ter cedido.
Acho que todos os pais se deviam realmente unir como é acima mencionado para que os preços baixassem e para que todas as crianças tivessem acesso à mesma.
Sou pai e tive muitas vezes oportunidade de ver o meu filho e sinceramente apesar do sacrificio que faço e de achar que é muito caro vou fazer todos os possíveis para que continue com as aulas de natação, é uma alegria imensa quando chega sempre do dia da piscina...vai ver que não se vai arrepender....

Um pai

Anónimo disse...

No meu entender o que é vergonhoso nas piscinas, é os pais pagarem, e ao fim de três anos as crianças ainda não saberem nadar.

isto não é dinheiro deitado fora!

Anónimo disse...

O valor da piscina é um absurdo... supondo que são 25 crianças a 24€ são 600€ !!! 1 hora ?? este valor foi atribuído por quem? pelas piscinas???? é que ganhar 600€ por hora é muita massaaa. Ladrões!!!
Eu a mãe

Anónimo disse...

Como é que crianças de 3 anos que nem sequer são capazes de ir à casa de banho sozinhos, muitos deles nem são capazes de pedir para lá ir, vão sozinhos para a piscina?
Uma mãe que pensa

Anónimo disse...

As crianças que vão à piscina, já não podem fazer na fralda, pois já andam na pré. Quanto a outro comentário de não saberem nadar não acredito, o meu filho vai fazer 4 anos, vai pelo 2º ano para a piscina e já sabe boiar e atirar-se sem medo, fez muitos progressos. Mas claro a decisão cabe a cada um dos pais. O que realmente acho mal é o valor da mensalidade e não é uma hora por semana são 3/4 hora.
è ridículo o aumento.
vamos todos reclamar, vamos unir as forças para fazer a diferença e permitir que todos possam ter acesso à piscina, incomoda-me muito ver outros meninos a ver os seus companheiros sem poderem ir também.
Um Pai preocupado

Anónimo disse...

Mas o que é que a piscina tem a haver com a escola nova.

Anónimo disse...

Acho que as piscinas tem tudo a haver com as escolas e com esta notícia. Está tudo interligado na Educação.
WZ

Anónimo disse...

Concordo com este ultimo comentário mas também estou de acordo que é um roubo o preço pela piscina. Na minha opinião deviam falar com o Centro alguém anda a ganhar muito dinheiro com os seguros cobrados, transporte e aulas. Peçam contas meus amigos. Em relção ao assunto inicial, é claro que temos de nos preocupar com as condições dos nossos alunos mas sabem quantos alunos existem nas escolas das Caldas? Um numero muito inferior aos das freguesias com polos escolares em marcha. Mais crianças = a mais pais = a mais votos. Entenderam ou querem um desenho??????


708mah

Anónimo disse...

Acho que devia realmente haver um pólo escolar, as pré de Azevedo e Arcozêlo deviam deixar de existir e agrupar-se num todo em conjunto com a pré da igreja, num único lugar. Bem como a primária é claro.
Devíamos fazer por isso, o Povo que se levante, unamos vozes para que seja uma só e num sentido único de proporcionar qualidade de vida ás nossas criança.
WZ

Anónimo disse...

Ao Sr. WZ,
É que o Polo Escolar (a designação da Carta Educativa é Centro EScolar)além de centralizar as escolas, incluirá, CANTINA, RECREIO COBERTO, POLIDESPORTIVO, SALA DE AULAS EXTRA CURRICULARES, e tudo o que agora se agrega. E quiçá outras valências que possam ser agregadas.
José Pinto da Silva

Anónimo disse...

Claro Sr. Pinto, que um pólo escolar como o nome indica é uma centralização de determinados serviços, o que seria de facto mais vantajoso para todos, e principalmente para a freguesia. Unia mais as pessoas e as pessoas unidas fazem a força. Realmente era uma outra era do ensino aqui nas Caldas de S. Jorge. Gostaria de saber se realmente "todos" poderíamos fazer alguma coisa para que tal acontecesse e se ainda vamos a tempo de o fazer é claro.
wz

Anónimo disse...

Ainda que, ao que parece, andem por aí interesses escondidos que
queiram levar o Centro Escolar para fora do que sempre foi o centro das escolas em Caldas de S. Jorge (as escolas de S. Jorge sempre se posicionaram entre a Igreja e a actual Escola Nº. 1), um passo a dar rapidamente é tentar
que o proprietário do único terreno onde tal equipamento pode ser instalado se apazigue das ofensas de que foi vítima (claro que tem que se encontrar outro interlocutor que não o ofensor)para que mantenha a disponibilidade para negociar.
Eu próprio um dia destes, em conversa com o proprietário que, como se sabe, vai intentar uma acusação judicial contra a Junta de Freguesia (ou contra o Presidente)por ocupação abusiva de uma parcela de terreno, lhe pedi (estava com uma testemunha que pode confirmar)que retirasse da ideia a queixa judicial e invoquei que o Presidente da Junta muda e a nossa terra é perene. Foi a linguagem que usei. Não deu decisão definitiva e disse que iria passar o dossié aos filhos, o que é mau, porque os filhos não têm
qualquer ligação a S. Jorge, nem afectiva, nem quase de visita.
Se se mantiver a disponibilidade de
negociar já será um bom passo. Ouvi
que haverá um cidadão de S. Jorge que estará disposto a comprar o terreno e, no contrato promessa, deixar explícito que terá que ser cedido à Câmara, pelo preço de compra e para fins de equipamento escolar, ou regressará ao proprietário inicial. Vou tentar confirmar.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

Seria Muito bom Sr. Pinto. AS pessoas têm que saber o que se passa, muitas delas não fazem nada por desconhecerem o que se está realmente a passar. Veja por favor se consegue ajudar neste processo, pois parece saber o que está a dizer.
Faça-o por todos nós, pelos seus futuros netos.
As Escolas trazem vida para a freguesia.
WZ

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL