segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Ainda as Fogaceiras


A Festa das Fogaceiras, realiza-se em Santa Maria da Feira em cumprimento de um voto feito a S. Sebastião, no séc. XVII, por ocasião de uma epidemia. Nesta romaria, que atrai multidões de forasteiros, são vendidas as fogaças, um pão doce de trigo que constitui a marca etnográfica da cidade. O cortejo sai pela manhã dos Paços do Concelho para a Igreja Matriz, fazendo parte dele dezenas de crianças, vestidas de branco com uma faixa à cintura, que levam à cabeça uma fogaça enfeitada. O cortejo é fechado por três raparigas que transportam à cabeça uma miniatura do Castelo. Na Igreja realiza-se uma missa solene, com a benção das fogaças e, à tarde, realiza-se a procissão que percorre o centro da cidade com os andores de S. Sebastião e de Nossa Senhora.

Historia da Festa das Fogaceiras


Por volta dos séculos XV e XVI Portugal sofreu uma grande epidemia, a peste. O povo sofreu os seus efeitos. A doença, a fome e a morte levaram-no a erguer as mãos para o Céu e fizeram uma promessa: se Deus através de S. Sebastião libertasse o povo daquela desgraça, todos os anos seria feita uma procissão onde raparigas honestas e pobres da vila transportariam o pão (Fogaça) à cabeça que seria oferecido às gentes necessitadas.
Os senhores da Feira, interpretando este sentimento do povo, decidiram cumprir o seu voto. E então, todos os anos as fogaças eram levadas em procissão que ia da Casa dos Condes até ao Convento dos Lóios (hoje Igreja Matriz).

Mas, muito mais tarde entre 1749 e 1753, deixou de se cumprir o voto. E a peste voltou e com ela voltou a cumprir a tradição a realizar a Festa em Louvor do Mártir S. Sebastião.
A partir de 1753, até hoje, a Câmara realiza esta festa e cumpre o voto prometido.

Do blog
http://kaskaedeskaska.blogs.sapo.pt

1 comentário:

Anónimo disse...

ai como eu gosto da fogaça..bem hajas querida fogaça

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL