sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Comentário ao comentário

foto : ...lebres e quase lebres.

...a propósito do comentário feito pelo nosso estimado PNCS, ao post " a rua do Bicalho"

Caro PNCS,
Começo por dizer que muito folgo em revê-lo nestas andanças. Como sabe, considero os seus comentários pertinentes, úteis e esclarecidos. Só lamento que este em particular seja, pelos motivos que indica, “excepcional”. Valeu no entanto pela destrinça que é feita entre o CCTRA e o empreendimento privado que será construído, com a abstenção do PS, na rua do Comendador Sá Couto.
Deixe-me no entanto esclarecê-lo, a si e aos leitores que nos acompanham, relativamente a algumas das matérias que aflorou no seu comentário.
É que enquanto mero colaborador convidado deste blog, não está na minha esfera de competências definir e impor o seu rumo editorial.
O Blog será sempre o que cada um de nós, os que intervimos e comentamos, quisermos que seja, e o meu “esforço”, se é que se pode dizer assim, tem ido no sentido de alimentar e permitir a sua continuidade. Admito no entanto que nem sempre da melhor maneira. Contudo é o que permite que outros intervenientes, tal como fez o meu ilustre interlocutor, possam a todo o momento dizer de sua justiça, o que de mais conveniente e elevado se lhes oferecer dizer, observando e respeitando as liberdades de cada um, o que infelizmente nem sempre acontece.
Seja como for, o objectivo é também promover neste espaço de debate, um confronto saudável de ideias, o que significa dizer que o enriquecimento desses debates depende naturalmente da envolvência de todos.
No seguimento desta linha de raciocínio, acredite que nunca foi minha intenção “conspirar” pelo menos deliberadamente contra quem ou o que quer que seja. Na realidade, os temas que proponho ou as opiniões que defendo, traduzem aquilo que em consciência considero serem algumas das fragilidades e/ou incongruências mais evidentes do nosso …chamemos-lhe sistema.
Nesse sentido, não me repugna nada, mesmo nada, a ausência de unanimismo, para utilizar uma expressão sua, em torno desses mesmos temas ou opiniões. De resto, é absolutamente normal que assim seja, e não será pelo facto de o estar aqui a enunciar que pretendo demitir-me de qualquer crítica que me possa vir a ser endereçada.
Mas ainda relativamente ao seu comentário propriamente dito e a propósito da aparente “conspiração eclética” que refere, permita-me transcrever aqui a seguinte definição de ecletismo ( ou ecleticismo) que retirei da Wiki :
Victor Cousin : (1792-1867): o objectivo desta filosofia é, segundo o seu autor, "discernir entre o verdadeiro e o falso nas diversas doutrinas e, após um processo de depuração e separação através da análise e da dialéctica, reuni-las num todo legítimo, com vista à obtenção de uma doutrina melhor e mais vasta."
Ora, esta parece-me ser inegavelmente uma boa postura intelectual. Revela um estado de lucidez positivo e construtivo. É uma postura que deveria ser adoptada pela nossa classe política que intelectualmente se está a tornar cada vez mais esquelética e cada vez menos eclética.
Neste contexto, sou levado a declinar o epíteto de “conspirativo” aceitando ao mesmo tempo e de bom grado o de eclético.
No que respeita ao teor do Post que suscitou o seu comentário, não me parece que haja em nenhum momento alguma referência que possa ter beliscado o profissionalismo e a ética deontológica pela qual se rege o meu ilustre interlocutor.
Como é por todos sabido, o ilha-bar tornou-se efectivamente um espaço de referência a vários níveis, inclusivamente no que concerne à sua arquitectura.
As loas foram tecidas em devido tempo e eu subscrevo-as inteirinhas. Não há com o ilha, como transparece do seu comentário, nenhum problema ( excepto o molho da francesinha ) e portanto, tudo quanto é referido no post não contradiz em nada esta evidência.
O que pretendi salientar não tem portanto que ver com isso, tem sim a ver com a tentativa por parte do presidente Alfredo Henriques, de utilizar esta obra das Caldas de S. Jorge como arma de arremesso político para justificar o tal “monstro arquitectónico” a ser construído na Feira, esgrimindo para isso argumentos, que não estou absolutamente seguro de que sejam os melhores e os mais correctos.
Mas vamos à matéria de facto que é como quem diz, vamos pôr as lebres a correr no prado.
Para isso coloquemo-nos as seguintes perguntas :
- Será que houve mesmo alguém que tivesse votado contra a edificação do Ilha? …Quem ?
- Será que houve mesmo críticas enormes à sua reconstrução ? …Por parte de quem ?
- Será que num dado momento a edificação do ilha não chegou a estar suspensa por falta de licenciamento da CCDR(N), indiciando falhas processuais ?
- Será que a ADRITEM, de cuja direcção faz parte o vereador Emídio Sousa, não financiou ( de forma legal, obviamente) uma parte significativa do respectivo caderno de encargos?
- Será que o pelouro que promoveu o concurso público de concessão não é tutelado pelo mesmo vereador Sr. Emídio Sousa?
- Será que a Junta de Freguesia de Caldas de S. Jorge, teve, tem ou terá algum benefício pecuniário (ou outro) no decurso da exploração do Ilha?
Acredite meu caro que poderia continuar, como de resto muito bem sabe, nesta lógica “conspirativa” de intermináveis “serás” e só não o faço porque afinal de contas e vindos de quem vem, estes “serás”valem o que valem. Conforme disse inicialmente, tento expor as fragilidades e incongruências do sistema.
Há um ponto em particular em que estou de acordo com o seu discurso.
A afirmação que faz a respeito do ilha e passo a citar : - ”… é uma realidade, ( não é só um conjunto de palavras) e isso é que importa".
Por outro lado, discordo totalmente quando diz: - "…a bola não se chuta apenas para a frente”.
É que é por essas e por outras, que alguns clubes da Liga estão onde estão, e já agora se me permite, aqui nas Caldas não há sequer quem reponha a bola em jogo a não ser o nosso estimado ATM, que pela sua natural e louvável dinâmica, faz de quando em quando uns arremessos pela linha lateral.
Finalizo, retribuindo os cumprimentos que me endereçou e fazendo votos sinceros de que nos possa continuar a honrar com a sua presença neste blog que como muito bem sabe, não é meu mas sim  ...de todos nós.

Termino pois este post, lançando-lhe um repto que estou certo irá considerar nas suas cogitações.

- Qual a sua opinião relativamente às propostas apresentadas pelo nosso estimado ATM para o desenvolvimento das Caldas de S. Jorge ?

Até Já.

bettencourt

12 comentários:

Anónimo disse...

tens muita vagar porque não te dedicas à esctrita, podias ter mais sorte....

Anónimo disse...

De facto....

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

GOSTA-VA DE LÊR OS COMENTÁRIOS ELIMINAdos O GAJO DEVI-A DE ESTAR COM AZIA.....
MEU AMIGO RENIE É O IDEAL EXPERIMENTA QUE DÁ RESULTADO....

Anónimo disse...

EXPERIMENTA QUE DÁ RESULTADO....

Anónimo disse...

RENIE

Anónimo disse...

vou comprar para o natal uma viagem de ida para destino incerto e ofereço-a ao só cretino!
ele para o ano não me vai dar ipotese de adequirir essa viagem, e está tanto a precisar dela!!!!!

Anónimo disse...

que se passa que está tudo calado!!!
Comendador Betencourt toca a escrever.

Anónimo disse...

AS LEBRES E QUASE LEBRES,PARTIRAM O BICO AO NEGRITO

Anónimo disse...

não é negrito é bicalho

Anónimo disse...

O COMENDADOR É MUITO NATALICIO E TEM MÊDO DE FERIR ALGUM SENTIMENTO MENOS PROPRIO PARA ESTA ÉPOCA.
RESUMINDO É UM SR. DE UMA INTELIGÊNCIA FORA DO NORMAL.
CERTO!

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL