quinta-feira, 28 de junho de 2012

Fw: BE vai oferecer uma Marreta ao presidente Alfredo Henriques que está destruir o concelho de Santa Maria da Feira




-------- Original message -------- Subject: BE vai oferecer uma Marreta ao presidente Alfredo Henriques que está destruir o concelho de Santa Maria da Feira From: Bloco de Esquerd Distrital Aveiro To: bedistritalaveiro@gmail.com CC:

BE vai oferecer uma Marreta ao presidente Alfredo Henriques que está destruir o concelho de Santa Maria da Feira

A Camara Municipal de Santa Maria da Feira apresentou uma proposta que extingue varias freguesias, sem fazer qualquer consulta às populações.

 

Esta atitude revela falta de sentido democrático e desrespeito total pelos munícipes.

 

O BE relembra que a gestão laranja (PSD) inaugurou no dia 25 de Abril de 1981, o monumento ao espirito feirense, que é um círculo com 25 metros de diâmetro, sendo constituído por uma sucessão de monólitos verticais, que representam as 31 Freguesias do Concelho.

 

Será que a Camara Municipal pretende utilizar uma marreta para destruir o monumento ao espirito feirense, depois de ter dado uma valente marretada na democracia?

 

O BE realizará amanhã, quinta-feira pelas 10horas uma conferência de imprensa junto ao monumento ao espirito feirense (S. João de Ver). Onde oferecerá uma marreta ao presidente da Câmara Alfredo Henrique, que simboliza a falta de rigor, planeamento, de insolvência financeira, de sentido democrático da gestão laranja ao longo das décadas e na destruição do Concelho.

 

Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Aveiro

 

segunda-feira, 25 de junho de 2012


                         FESTA DA PROFISSÃO DE FÉ
                           24 de Junho de 2012
FESTA DA PROFISSÃO DE FÉ
24 de Junho de 2012
27 Jovenzinhos (as) fazem a Sua Profissãode Fé
na Comunidade Paroquial de Caldas de são Jorge.
Exactamente 14 Meninos e 13  Meninas.
 
Uma Festa Linda
Bem vivida.
 
Simples, funcional pondo de
Parte vaidades
e exorbitâncas
De fora de tempo e época1
Para Recordar
e Fer Fiel .
Parabéns a Todos!
 

Hoje  25 de Junho 2012 
Asssembleia de Freguesia 
à hora habitual

Assunto:Reorganização Administrativa Territorial Autárquica
do Concelho de Santa Maria da Feira
Lei. nº 22 / 2012 de 30 de Maio
Comparece, 
dá rua tua opinião,
defende a Nossa Vila Termal.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Ivan não tem pombal mas criou o único jogo de columbofilia do mundo…

 
columbofilia
Os jogadores de podem baptizar, treinar, alimentar e acasalar pombos numa comunidade virtual com mais de 4.000 utilizadores

Ivan Silva, programador informático de Santa Maria da Feira, criou um mercado de pombos na Internet. Os jogadores podem baptizar, treinar, alimentar e acasalar pombos numa comunidade virtual com mais de 4.000 utilizadores.

Às quartas-feiras e domingos, há competições no Pigeonsmanager, o único jogo de columbofilia do mundo. Antes disso, há muito a fazer: escolher a melhor alimentação, tratar da saúde, escolher a intensidade dos treinos e acasalar os pombos se for caso disso.

Ivan Silva, 32 anos, de Santa Maria da Feira, programador informático e investigador da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, criou um jogo traduzido em nove línguas. Os columbófilos virtuais podem competir online, acompanhar a chegada dos pombos em tempo real e trocar opiniões num chat. Tudo à distância de um clique. Único no mundo com neurónios portugueses.

Em 2003, três anos depois de criar um portal dedicado à columbofilia, a ideia de construir um jogo para a comunidade dedicada aos pombos andava a matutar na cabeça. “Comecei a ver que havia uma interessante comunidade de columbofilia na Internet”, recorda. Ivan andava entusiasmado com jogos de tácticas e estratégias. O pai, columbófilo, com pombal e um negócio do sector, deu-lhe dicas importantes. Mas o projecto ficou a marinar oito anos.

Nessa altura, Ivan entrava no curso de Ciência dos Computadores, na universidade onde agora faz investigação, e as oportunidades de trabalho puseram a licenciatura em banho-maria. O tempo passou, mas a ideia nunca morreu. O ano de 2011 foi decisivo: acabou o curso e, em quatro meses, criou o jogo virtual de columbofilia. Em Agosto, estava tudo pronto.

A experiência do portal deu-lhe bastante confiança. Ivan sabia que o jogo iria ter sucesso. “Sinceramente estava à espera. Sabia que seria um jogo extraordinário pelo facto de não existir nada igual”, confessa ao P3.

Vamos aos números: mais de 4.000 jogadores registados, 3,5 milhões de visualizações por mês, 200 utilizadores online nos dias de competição. Portugal está à frente com 45 por cento dos utilizadores. A Alemanha surge a seguir com 12 por cento e o Reino Unido com 11. Aqui ao lado, Espanha tem oito por cento de jogadores, Roménia e Argentina seis.

Ivan quer investir mais tempo no jogo, concentrar-se na divulgação, melhorar o aspecto gráfico. “Tem tanto para evoluir. Quando este jogo conseguir ter mais participantes estrangeiros do que portugueses, dou-me por satisfeito”, revela. E não esconde que quer colocar os chineses a jogar.

O programador informático não deixou nada ao acaso. Os ingredientes conjugaram-se: conselhos do pai, ajuda da mulher professora de Matemática, o à-vontade nos códigos e fórmulas de programação. Tudo junto e o jogo acabaria por ver a luz do dia. E está lá tudo, todos os pormenores que dizem respeito ao mundo columbófilo.

Login feito, o jogador tem direito a um pombal com 10 pombos com características aleatórias de velocidade, persistência, resistência, entre outras. Além disso, recebe 1.500 unidades monetárias para gerir como quiser. É um mercado de pombos que já movimenta milhões de euros virtuais. E as taças, medalhas e anilhas ficam para a posteridade. “Todos os prémios que o jogador ganha ficam registados no seu currículo”. Tudo à borla.

pigeonsmanager_0

In Público online.

domingo, 10 de junho de 2012

Cartas de leitores...

ARVORES DE CIMENTO...

Exmo senhor

Gosto muito de ler todos os seus comentarios pois tem razão em tudo o
que diz e fazem falta pessoas assim que não tenham medo de dizer o que
está mal.Por essa razão gostaria que falasse no blog sobre a vergonha
que é as árvores que foram cimentadas que se encontram em frente à
Bébécar pois é um atentado ao meio ambiente alem de ser uma
ilegalidade pois o cimento não vai permitir o.desenvolvimento das
árvores levando á sua morte.Deixo aqui o meu reparo na certeza que o
assunto não será por si esquecido.
Desde já os meus respeitosos cumprimentos.
Obrigado

sábado, 9 de junho de 2012

Desfile de moda, 16 Junho 2012

Câmara da Feira suspende licenciamento e taxas…

A Câmara de Santa Maria da Feira decidiu suspender o licenciamento e, consequentemente, a cobrança de taxas de publicidade ao pequeno comércio, serviços e indústrias do concelho.
A autarquia vai ainda proceder à revisão do respetivo regulamento, de forma a manter essa isenção e a simplificar os procedimentos de licenciamento.
Segundo o vice-presidente da Câmara, Emídio Sousa, «a difícil conjuntura económica e as dificuldades que as empresas enfrentam, em especial o pequeno comércio, os serviços e as indústrias, a necessidade de simplificar os procedimentos de licenciamento, cujas exigências regulamentares levam por vezes ao recurso a apoio técnico que encarece significativamente o processo», são as razões apontadas para a decisão tomada.
Em duas situações a autarquia vai suspender os licenciamentos de publicidade e deixar de cobrar taxas: «quando as mensagens publicitárias de natureza comercial, industrial ou serviços são afixadas ou inscritas em bens de que são proprietárias, ou legítimas possuidoras, ou detentoras entidades privadas, e a mensagem publicita os sinais distintivos do comércio, serviços ou indústria do estabelecimento ou do respetivo titular da exploração, ou está relacionada com bens ou serviços comercializados no prédio em que se situam, ainda que sejam visíveis ou audíveis a partir do espaço público; e quando as mensagens publicitárias da mesma natureza ocupam o espaço público contíguo à fachada do estabelecimento e publicitam os sinais distintivos do comércio do estabelecimento ou do respetivo titular da exploração, ou estão relacionados com bens ou serviços comercializados no estabelecimento».
A Câmara vai ainda avançar com a revisão do regulamento de licenciamento e taxas de publicidade, no sentido de isentar de taxas o pequeno comércio, serviços e indústria, salvaguardando aspetos relativos à paisagem urbana, em especial quanto à sua dimensão e impacto, visando ainda simplificar os procedimentos de licenciamento.

In OLN Aveiro.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

INDAQUA – FEIRA empurra responsabilidades para Câmara Municipal de Santa Maria da Feira…

Nª. Refª. : AM/DVRS/44728

Exmº. Senhor,

Atente o teor do e-mail de Vossa Exª. de 02 de junho de 2012 (17:52), vimos pelo presente esclarecer que esta Empresa não está a efetuar , a seu cargo, nenhuma construção nas margens do Rio Uíma, podendo Vossa Exª. estar a referir-se a uma Estação Elevatória que está a ser construída a cargo da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira.

Sem outro assunto de momento enviamos os nossos melhores cumprimentos.

image

Caldas de S. Jorge tem 2 novos campeões nacionais…

CD%20Fiaes

Caldas de S. Jorge tem 2 novos campeões nacionais.

João Bráz e Pedro Gomes, são campeões nacionais de Voleibol (Infantis), pelo CD FIÃES.

PARABENS

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Fotógrafo das Caldas de S. Jorge perpetua memórias da antiga Oliva

Fotografia
Nos Paços da Cultura de S. João da Madeira até ao próximo sábado

>> Leia mais na edição impressa do Terras da Feira

JORNAL TERRAS DA FEIRA - Semanário Regional - Santa Maria da Feira

www.terrasdafeira.pt

On-line semanário regional publicado em Santa Maria da Feira, Portugal, com notícias de todo o seu concelho.

terça-feira, 5 de junho de 2012

RESPOSTAS DE PEDIDOS DE ESCLARECIMENTOS…

_________________________________________image____________________________________________________________________________

image

segunda-feira, 4 de junho de 2012

ENVOLVER-SE NUMA SÉRIE DE SARILHOS...

Na edição de 14 de Maio do C.F. saiu uma longa entrevista dada pelo presidente da Junta de Freguesia de Caldas de S. Jorge à Sra. Directora do hebdomadário.
Passarei como pé descalço por brasas sobre o exercício, o feito ou não feito, ou mal feito, serviços prestados, bem ou menos bem prestados, o que pretende ou pretendeu e o que (não) fez para atingir o desiderato. Quero realçar o “envolvimento na série de sarilhos”.
Mostra uma fixação no hotel, que, em qualquer circunstância haveria de ser privado e como se, porventura, tivesse influência ou influências para influenciar alguém para um tal investimento empresarial. Que me conste, ninguém, e há empresários do ramo à nossa volta conhecedores profundos do sector, e também a Câmara, ninguém fez qualquer estudo económico que pudesse entusiasmar qualquer investidor. Se cheirasse a interessante e a rentável já teriam estabelecido contactos. Um hotel, não importa onde, até poderá ser rentabilizado, mas é seguro que não será com a clientela habitualmente utilizadora das termas. De resto quem, porventura, se instale nos hotéis da periferia, tem a deslocação garantida. E têm sido bem poucos.
Esqueceu de todo o novo, tão motivador de campanha, edifício/sede de Junta/anfiteatro, para o qual poderia ter mandado fazer projecto e candidatá-lo a fundos do PRODEP/ADRITEM, como fizeram, por exemplo, e para não ir mais longe, a Fábrica da Igreja, como fez Junta de Pigeiros e como fizeram privados de cá. Esqueceu a hipótese de requalificar o rio, também com apoios específicos. Mas era preciso fazer projecto e candidatura. E dá trabalho. Algum trabalho. Manteve o sonho do tal passadiço pedonal. E sonhará por muito mais tempo, porque a Câmara tem outras prioridades e que não passam por Caldas de S. Jorge. E fala numa nova barragem de que começou a falar depois de a Câmara o ter já anunciado. Será um trabalho da Câmara, desde idealização, projecto e execução, de resto com pensamento em beneficiar alguém em concreto. Para ter desistido do Centro Escolar, invoca a diminuição da população escolar, o que é uma falácia sem nome. Para não ir mais longe, que olhe para o Centro de Gião, terra com muito menos população, total e escolar. A Câmara é que, aproveitando-se da dificuldade de aquisição do terreno, por intervenção errada e maldosa da Junta (ou do seu presidente) mandou às favas a Carta Educativa do Concelho e anulou o Centro de Caldas de S. Jorge, há muito aprovado superiormente. Esqueceu a luta pela participação da Autarquia no capital Social das Termas e atirou para trás das costas aquele abaixo-assinado que promoveu contra o PERM. Não seria preciso também porque iniciou-se em ovo que grelou. Esqueceu-se de ver que o lote onde está construída a sede da Junta não está legalizado, como não estão todos os logradouros propriedade da Junta. Esqueceu-se de que a Junta não dispõe de uma base de dados da população idosa, tratados por estádio etário e nível de bem-estar, nem da população infantil e juvenil e quantas mais tarefas administrativas que ficaram esquecidas, nomeadamente a prestação de contas limpas e esclarecedoras e a prestação das informações solicitadas regular e insistentemente pela Assembleia de Freguesia. Quem pagou a transversal ao Tojeiro? E o alargamento da Carreira?
Mas vamos então ao tema que originou o título do escrito, por sua vez citado de expressão do entrevistado. Citando-o: “ É desgastante, passamos por situações que, na vida privada nunca permitiríamos que acontecessem. Ser autarca é envolvermo-nos numa série de sarilhos sem necessidade alguma.”
Vou só lembrar o entrevistado e toda a gente que nele votou que, quando se candidatou anunciou um devotamente desinteressado à freguesia, esquecendo-se de dizer que queria a presidência da Junta para garantir emprego remunerado e com remuneração que não obteria no exercício qualquer de outra actividade que soubesse desenvolver. Esqueceu-se de que mais de 1.300.000 portugueses que trabalham todos os dias 8 ou 9 horas em oficinas ou escritórios, ganham menos de € 600,00 por mês e o meio tempo a que, por seu único alvedrio, passou a “sacar” dá-lhe € 620,00 por um “trabalho” que não dá uma hora, em média, por dia. Além de ter cometido grave ilegalidade quando começou a “sacar” tal ordenado, devia envergonhar-se por só uma pequena percentagem dos 4 259 presidentes de Junta terem remuneração desse teor. E, para não me alongar, vamos ao não cumprimento da lei, para aceder ao “tacho”. É o termo certo. Os autarcas que o antecederam devem sentir vergonha pelo que passaram e os que morreram devem estar a dar voltas na tumba pelo desvario.
Diz o artº. 17º., nº. 2, alínea h) da lei 169/99 que compete à Assembleia de Freguesia “deliberarnos casos previstos nos nº.s 3 e 4 do art. 27º. Sobre o exercício de funções a tempo inteiro ou a meio tempo do presidente da Junta”. A lei 5-A/2002, deu nova redacção à mesma alínea, do mesmo nº. do mesmo artigo da lei antes citada e passou a dizer que compete à Assembleia “verificar a conformidade dos requisitos previstos no nº. 3 do artº. 27º. sobre o exercício de funções a meio tempo ou a tempo inteiro do presidente da Junta”.
Ora a Assembleia de Freguesia de Caldas de S. Jorge NUNCA foi confrontada com este tema, nem para VERIFICAR A CONFORMIDADE (e dar parecer) e muito menos para deliberar. Vejam-se as Actas da Assembleia de Freguesia e ficará confirmado o que atrás se diz.
Logo, para além de ser um esbulho à freguesia, de ter sido um logro para quem nele votou, o recebimento está ferido de ilegalidade que, se houver alguma justiça nos procedimentos, terá que ser reposta e só o poderá ser com a devolução de todas as remunerações até agora recebidas. Isto já havia sido denunciado, quiçá com menos detalhe. Mas há-de continuar, porque há mais coisas de que o presidente da Junta de Caldas de S. Jorge se esqueceu e que urge recordar.
 
Por: José Pinto da Silva

23º Aniversário - Agrupamento 901



1989 - 2012

23 Anos de história.
Muitas histórias, muitas vidas.
Para todos os que por cá passaram, foram momentos sem dúvida inesquecíveis. Para os Lobitos este foi o ponto de partida para algo maravilhoso. Foi a descoberta de um mundo cheio de oportunidades, de novos amigos e ensinamentos. Nestes 23 anos, todos os que se tornaram lobitos cresceram mais fortes e sem dúvida mais alegres. Mas a criança cresce e ganha responsabilidade e ganha gosto pela crescente aventura. Quantas foram as maravilhosas jornadas com as patrulhas, que orgulhosamente transportaram o lenço verde ao pescoço. Todos os exploradores deixaram o mundo um pouco melhor nestes últimos anos. Na III secção o Pioneiro é convidado a ser criativo, audaz e autónomo. A equipa é o apoio indispensável, na busca incansável pelo rumo certo. Porém, o jovem necessita de se fazer homem adulto e a escola não estaria completa sem a IV Secção. Cada Caminheiro foi chamado, à descoberta firme de si próprio como habitante do mundo. Foi o revelar de um novo capítulo de vida para os que estão a descobrir o sem verdadeiro caminho. Porém, o agrupamento não estaria completo sem o apoio insubstituível dos Dirigentes. Foram principalmente as suas mãos que construíram estes 23 anos. Cada elemento deve o seu conhecimento, as suas actividades e as suas alegrias aos Homens e Mulheres que alcançaram o lenço verde escuro, e souberam amparar os mais pequenos. Não podíamos claro deixar de prestar uma homenagem aos Pais que fazem o escutismo a partir de casa e ao Senhor Padre que sempre nos apoiou e nos guiou maravilhosamente, naquela que é sobretudo, uma caminhada cristã. E claro, a todos os que por cá passaram. Pois quem se fez escuteiro um dia nunca mais viu o mundo da mesma forma. Nunca mais fez as coisas sem se lembrar de as fazer mesmo bem, ou de as fazer tendo em conta o amor ao irmão ou à natureza. Uma vez escuteiro, sempre escuteiro!

Há “quatros anos” que escorre água da rua das Termas para terreno particular

Queixoso diz que tem origem em condutas de saneamento

Há quatro anos que a propriedade de José Ferreira, na Rua Dr. Domingos Coelho, (edifício onde se encontra o supermercado), nas imediações das Termas das Caldas de S. Jorge, vem servindo de local de escoamento de águas que brotam debaixo da estrada, e que, por vezes, encaminham lixo e provocam um cheiro nauseabundo que afecta não só a propriedade como o próprio balneário termal.
Armindo Bastos, procurador do proprietário que é emigrante, não tem dúvidas de que são águas residuais provenientes de alguma “ruptura das condutas de saneamento” e que a situação se agrava sempre que chove. Numa reclamação apresentada na Câmara Municipal, depois de várias abordagens à Junta de Freguesia e à própria Edilidade, salienta que as águas trazem consigo “variados detritos, desde plásticos, pensos higiénicos e mais variadas porcarias".
Leia mais na edição impressa do Terras da Feira

domingo, 3 de junho de 2012

Em Dia da Solenidade da Santíssima Trindade
E Festa da Família Cristã.
decorreu a Festa da Comunhão Solene
(Primeira Comunhão)
da Eucaristia. 
 
A primeira das  cerca de 40.000
a que  se propõem participar
durante os anos de vida Humana
e Cristã que o Pai do Céu 
lhes vai dar.
São 22 Meninos (as)
da Primeira Comunhão
que o fazem pela primeira vez.
  
Têm os pais,
padrinhos,
comunidade 
e Pároco como testemunhas.
Parabéns!
 

sábado, 2 de junho de 2012

Igreja Matriz da Vila Termal de Caldas de São Jorge 
 
Festa da Palavra do 4º Ano da Caminhada Catequética.
Parabéns aos (às) Meninos (as)
Aos Seus Pais 
E Catequistas!
Parabéns!  


Pedido de Esclarecimentos…

De: http://caldas-sao-jorge.blogspot.pt/

Email: csjorge@portugalmail.com

Ao cuidado de: CCDR-N, ARHNORTE, CAMARA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DA FEIRA, INDAQUA-FEIRA.

Assunto: Pedido de esclarecimento URGENTE.

Vimos por este meio solicitar esclarecimentos, sobre a construção que está a ser efectuada pela INDAQUA na margem do Rio Uíma, mesmo no centro de Caldas de S. Jorge, Concelho de Santa Maria da feira a poucos metros das Termas S. Jorge.

Não deixa de ser estranho que a lei proíba a construção ou quando muito a condiciona, nas margens das águas não navegáveis nem flutuáveis, nomeadamente no Rio Uíma.

Mais grave é que a construção encontra-se em clara zona de leito de cheias, anuais.

Visto a zona de construção actual ser vulgarmente local de cheias e de inundações mais estranha fica, sendo algo para depósito de detritos poluentes, que certamente todos anos pelas cheias ficarão sujeitos a transbordar, e poluir o Rio Uíma e em último caso quem sabe, os Lençóis freáticos das águas termais. Poderia também falar do impacto visual, nomeadamente do “mamarracho” que destoará o vale e margens do Rio Uíma, mas esse é um mal menor para a gravidade desta construção.

Desde já solicitamos, esclarecimentos URGENTES, a fim de esclarecer as seguintes questões:

1º Quem licenciou a obra, bem como os artigos e decretos-lei usados para se fundamentar na aprovação da mesma.

2º Para a construção desta obra foram efectuados estudos de impacto ambiental? Se sim quais.

3º Qual o verdadeiro risco, a quando das cheias.

4º Foram estudados outros locais para a construção desta infraestrutura? Se sim, quais? E qual o critério de escolha deste local.

5º Foi solicitado parecer às Termas S. Jorge, e Junta de freguesia? Se sim qual a resposta.

6º Em caso de erosão das margens, poderá ou não a construção ruir ou ficar parcialmente danificada.

7º Quem é o engenheiro responsável pela obra? Poderá o mesmo ser responsabilizado caso algum incidente ocorra.

8º Quais os materiais usados para evitar fissuras, bem como cheiros e potenciais escorridos dos detritos.

9º Qual a capacidade da infraestrutura, em caso de avaria das máquinas ou ausência prolongada de energia eléctrica.

10º Quem é o ou os fiscais responsáveis pela obra.

Estas são alguma dúvida que neste momento, gostaria de ver respondidas por parte das entidades competentes. Na esperança das mesmas serem respondidas aguardamos 15 dias pelas mesmas, caso não obtenha-mos resposta dentro do prazo iremos dar início a um abaixo-assinado pela freguesia a fim de enviar a entidades superiores, bem como promover uma providência cautelar para suspender as obras, até vermos os pedidos respondidos.

Cumprimentos,

Administrador do Caldas de S. Jorge Blogue.

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL