quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

CASA DE CAMPO…

Guardando as memórias do que representa para a família da promotora

Antiga fábrica de papel ganha nova vida como casa de campo

Inserida numa paisagem bucólica, a “Casa do Engenho” terá seis quartos e ensinará visitantes a confeccionar chocolate.
A primeira casa de campo no coração do concelho de Santa Maria da Feira deverá abrir as suas portas em Dezembro em Caldas de S. Jorge. Uma antiga fábrica de papel, que guarda muitas memórias, está a ser transformada numa casa de campo, com seis quartos, por iniciativa da sua proprietária, uma professora que reside no Porto mas passa o fim-de-semana e as férias em Caldas de S. Jorge, onde já recuperou uma casa da família junto à fábrica.
Maria do Céu Silva não queria apagar as memórias de uma fábrica da segunda metade do século XIX erguida pelo trisavô e que foi passando de geração em geração até chegar a si. Converter aquele edifício numa unidade de alojamento em espaço rural era uma ideia que há muito lhe povoava os sonhos.
Leia mais na edição impressa do Terras da Feira

2 comentários:

Albano Gomes disse...

A Maria do Céu Silva, dum quadro negro fez um quadro de rosas, um sonho que se realizou, com trabalho e dedicaçäo.
Admiro a sua coragem !
De continuar com as raìzes da famìlia, restaurar o que seu avô começou.
È qualquer coisa de especial, nesta èépoca em que o progresso arrasa tudo.
Mas nòs devemos transmitir aos Caldenses o seu passado e presente, como se fosse uma aventura ou filme,contruindo e restaurando tesouros do passado.
Em direçäo a um futuro de progresso e de modernidade.
E näo sò construir de novo.
Mostrar às geraçöes futuras antigas arquitéturas tradecionais, é deixar algo dos nossos antepassados, que embelezam povoaçöes e vilas.
Abençoados com as làgrimas do cèu e os coraçées dos homens.
devemos restaurar e renovar, porque o progresso näo tem remorsos de nada.
Uma casa transformada ou restaurada em casa de campo uma ideia maravilhosa.
Säo o testemunho de épocas passadas, onde os seus famìliares passaram as mäos e os pés.
Abençoada seja a casa do Engenho!
Desejo-lhe muita sorte no seu progeto.
Albano Gomes.

Fernando A. Henriques disse...

Saudações aos caldenses:
Os meus parabéns pela obra, das poucas que se fazem na terra, é de louvar e admirar tal coragem os meus mais sinceros votos de sucesso.

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL