quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

INDÁQUA FECHA QUINTA DA Dº INÊS E IMPEDE MORADORES DE USAREM AS GARAGENS…

2013-01-31%2009_32_152013-01-31%2009_33_09

Indáqua devido a uma má execução de ramal, viu-se obrigada a levantar todo o ramal na Quinta da Dº Inês. Toda a via foi completamente destruída, incluindo os passeios foram pura e simplesmente alcatroados e enterrados a abaixo do nível da estrada.

O insólito é que abandonaram a obra, impedindo os moradores de estacionarem nas garagens.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Lar de Idosos…

2013-01-30%2016_57_44

Todos tinhamos já reparado que o Lar de Idosos, admito que por engano, foi implantado muito para junto da avenida do Parque Desportivo, sem dúvida em transgressão da lei que impõe certo apartamento do espaço público.

Como se costuma dizer, da janela cospe-se para a rua. Imaginei que o erro ficaria por ali mesmo, mas não, estragaram de todo o soneto com a tentativa da emenda. Informam-me que, para solucionar o caso, vão tonar a avenida mais estreita cerca de 3 metros roubando descaradamente esse espaço ao domínio público. As autoridades locais e municipais irão ser coniventes?

JOSÉ PINTO DA SILVA.

OUTRAS NOTAS…

Vieram contar-me que, já desde o fim de semana passado, por autorização de quem tem poder para tal, foi instalada uma roullote, no espaço poente do Campo de futebol, intra muros, roullote essa que servirá, teoricamente, para vender comes e bebes, como qualquer roullote da beira de estrada. Mas não acham estranho uma coisa daquelas naquele local? Será comercialmente atractivo? Dizem-me que primeiro... a quereriam instalar numa rua do loteamento SITISA, num local onde há tempos paravam muitos carros que depois abanavam sem que se lhes mexesse. Dizem ainda que quem interveio directamente no "negócio" terá sido o presidente da Junta em pessoa que terá exercido influência junto da Direcção do futebol. Que funciona até às 6,00 horas da madrugada e que logo no primeiro fim de semana passou a haver movimento, com paragem de carros de gama menos habitual nesta zona. Será mesmo para vender sandes? Vai haver gente à cuca.

in facebook…

CORREIO DE LEITORES.

Porque será que o campo de futebol virou parque de roulotes de petiscos, bebidas, etc?!

Que respondam os entendidos.

Herminio Mota

roulote

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

SER DILIGENTE OU FICAR DE CU SENTADO

           

            Têm sido recorrentes, na autarquia de Caldas de S. Jorge, ao que me vai sendo soprado e tenho conseguido espreitar nas actas das reuniões da Assembleia de Freguesia, têm sido recorrentes as perguntas ao executivo sobre a situação de registo e regularização do património da autarquia e a sua inscrição nos organismos próprios que garantam a propriedade dos bens.
Terão sido as respostas sempre evasivas, de que isto está em ordem e aquilo está em vias de estar e aqueloutro terá esta ou aquela dificuldade, e rrrrnhó nhó nhó, pardais ao ninho.
Por uma particular casualidade tive de ir tratar de inscrever na matriz predial um bem de família e, levou-me a curiosidade a mandar pesquisar qual o património matriciado em nome da Junta de Freguesia de Caldas de S. Jorge. Introdução do NIF e, helas! resultado totalmente negativo. Zero da silva, disse o funcionário que acrescentou a sugestão de lançar um peditório solidário em favor da deserdada Junta. Imaginem que nem o edifício sede da Junta está inscrita como propriedade da mesma, tendo sido construída de raiz E se não está o edifício, muito menos o lote de implantação.
São mais ou menos conhecidos os bens da Junta (alguns estarão ainda adstritos à Câmara, saiba-se porquê) e também não são muito complicadas as diligências oficiais para que tudo se possa regularizar, desde logradouros, o Calvário, jardins, fontanários, lotes de terreno. Nem sequer a chamada casa da Ti Maria Armanda tiveram o cuidado de inscrever.
Em fase em que os elementos do Executivo não fazem rigorosamente nada de coisa nenhuma, (com um presidente a sonegar uma remuneração que só ali terá hipótese de conseguir auferir) não seria altura de levantarem o cu do mocho e deixarem, ao menos, inscrito aquilo que é propriedade da autarquia? Não tem nada que saber, mas se esse alto trabalho estiver para além do entendimento da Junta, peçam ajuda, sem preconceitos e, claro, paguem as despesas inerentes. São algumas.

José Pinto da Silva

CASA DE CAMPO…

Guardando as memórias do que representa para a família da promotora

Antiga fábrica de papel ganha nova vida como casa de campo

Inserida numa paisagem bucólica, a “Casa do Engenho” terá seis quartos e ensinará visitantes a confeccionar chocolate.
A primeira casa de campo no coração do concelho de Santa Maria da Feira deverá abrir as suas portas em Dezembro em Caldas de S. Jorge. Uma antiga fábrica de papel, que guarda muitas memórias, está a ser transformada numa casa de campo, com seis quartos, por iniciativa da sua proprietária, uma professora que reside no Porto mas passa o fim-de-semana e as férias em Caldas de S. Jorge, onde já recuperou uma casa da família junto à fábrica.
Maria do Céu Silva não queria apagar as memórias de uma fábrica da segunda metade do século XIX erguida pelo trisavô e que foi passando de geração em geração até chegar a si. Converter aquele edifício numa unidade de alojamento em espaço rural era uma ideia que há muito lhe povoava os sonhos.
Leia mais na edição impressa do Terras da Feira

Concurso público da concessão deverá ser lançado numa próxima reunião

Sociedade de Turismo poderá não estar sozinha na corrida às Termas

O concurso público da concessão da exploração das Termas de Caldas de S. Jorge deverá ser lançado numa das próximas reuniões da Câmara da Feira. O dossiê com as condições e as regras que o concessionário terá de cumprir, está a ser ultimado nos serviços da autarquia e a vereadora que tutela as Termas, Teresa Vieira, adianta que subjacente a este concurso público está a ideia de manter o tipo de gestão do balneário termal, independentemente da entidade que a venha a assumir.
A legislação não permite que a Câmara renove a concessão da exploração à Sociedade de Turismo de Santa Maria da Feira, mas não a impede de se apresentar a concurso em pé de igualdade com outros potenciais concorrentes. E, ao que se vai ouvindo, haverá conhecidos empresários da área do turismo a revelar interesse nas Termas. Olhando à notoriedade, à actividade desenvolvida e à qualidade do balneário de S. Jorge, Teresa Vieira diz que é “expectável” haver “potenciais interessados”, mas relativiza os rumores, porque, em concessões de outros balneários, tem havido empresários a levantar cadernos de encargos, mas sem concretizar propostas.
Leia mais na edição impressa do Terras da Feira

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Terá a Freguesia das Caldas de São Jorge virado Lixeira Municipal????

LIXO3Boa tarde.

Venho por este meio mostrar algum desagrado e alguma vergonha por morar nesta terra.

A terra que me viu nascer a terra que tanto defendo e estimo está uma autêntica lixeira... Vejo todos os dias pessoas a colocarem lixo junto dos ecopontos como se os ecopontos fizessem por eles a selecção do lixo. Será que fazem e ainda não sei??!!

Já se era de prever que nesta época festiva a população portuguesa fosse produzir mais lixo que o habitual, e também já era de prever que não gostassem de ter o lixo guardado em casa, mas daí a virem coloca-lo a porta dos outros, em vez de o colocarem a sua porta isso é que não era de esperar...!!! Pelo menos não queria acreditar que fosse acontecer. Mas pelos vistos aconteceu. Não só o colocaram em frente da casa dos outros, como o colocam de qualquer maneira, deixando o lixo a mercê dos cães que por la passam, ficando o lixo todo espalhado pelo meio da rua... Como se isso tudo não bastasse, ainda se vê população de freguesias vizinhas cá virem colocar lixo.

Terá a Freguesia das Caldas de São Jorge virado Lixeira Municipal????

Mas no meio disto tudo, o que mais me magoa é ver que o lixo não tende em desaparecer , mas sim em aumentar, e ver que podiam ser tomadas medidas para atenuar este efeito, e desculpem-me a expressão, PORCO. A colocação de contentores do lixo junto dos ecopontos a fim de evitar novas situações como esta seria uma boa opção.

Poderia a junta de freguesia diligenciar algo a este respeito? Fazendo o pedido de contentores para os colocar em locais estratégicos na freguesia?Também é certo que o comportamento cívico das pessoas teria que mudar, o que certamente não é fácil.

Gostaria de ver tudo isto publicado e se houver alguma coisa que possam acrescentar ou corrigir, gostaria que o fizessem.

Juntamente seguem algumas fotos em anexo para mostrar em que se tornou a freguesia das Caldas de S. Jorge.

Todas as fotos foram tiradas aos ecopontos junto da junta de freguesia.... (Que vergonha.)

Respeitosamente.

Carlos MagalhãesLIXOLIXO2LIXO1

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL