terça-feira, 9 de outubro de 2007

BLOCO DE ESQUERDA DENUNCIA DESCARGA NO RIO UÍMA.

Bloco de Esquerda denuncia uma descarga no rio Uíma, na Freguesia de Romariz, em Santa Maria da Feira, onde atravessa a Rua dos Carreiros, com a água «completamente poluída, com uma coloração azul». O Bloco participou à SEPNA, da GNR, e quer a punição dos responsáveis, prepara um requerimento ao Ministério do Ambiente, «a exigir esclarecimentos» e outro ao «Ministério da Administração Interna no sentido de esclarecer a lentidão das autoridades, ao deslocar-se ao local».

O BE precisa que alertou as autoridades «às 17:30h, no entanto só cerca das 19.15 é que os agentes chegaram ao local mas da esquadra até ao local da ocorrência são apenas cerca de 12km».


Os bloquistas lamentam ainda que no concelho da Feira, as margens dos rios e das linhas de água não ssejam limpas, «facilitando a vida aos prevaricadores, o Ministério do Ambiente, a Câmara, não tomam medidas adequadas para por fim à permanente poluição das linhas de água e dos rios».


O Bloco diz que o responsável pelo Pelouro do Ambiente, «em vez de tomar medidas eficazes para combater e detectar os poluidores, ande preocupado com iniciativas de marketing pessoal com objectivo de se promover para ser o futuro cabeça de lista do PSD à Câmara».

2 comentários:

Charizard disse...

Esta ideia de fazer descargas clandestinas poluentes para os cursos e linhas de água, reflecte bem a falta de cultura ambiental que reina , na maior parte dos industriais e empresários deste retrógrado concelho.
Parece tudo tão normal, porque já se fez tantas vezes e não aconteceu nada, que estes criminosos do ambiente sem escrúpulos nem hesitam.
Isto passa-se todos os dias, porque
uma larguíssima maioria das empresas não tem como tratar os efluentes líquidos que produzem.
Primeiro porque não cumprem a legislação e não há quem fiscalize, logo o crime compensa.
Segundo, porque os piores exemplos vêm precisamente da Câmara Municipal, que mantém muito atrasado todo o plano de saneamento para este concelho.
A falta de estruturas que pudessem permitir que pequenas empresas pudessem tratar os seus efluentes, sem que isso implicasse um enorme investimento numa ETAR, podia e devia ser suportada pela Câmara, nomeadamente quando se aprovam novas Zonas Industriais, podendo a manutenção do equipamento ser feita com a ajuda financeira das empresas que dela se servem.
É importante que pelo menos haja denúncia destes casos, para que estes criminosos tenham pelo menos a percepção que as pessoas não andam distraídas e conhecem perfeitamente as regras que contribuem para o seu bem estar pessoal e colectivo.
Por fim será muito estranho, se todos os que se mostram preocupados ,com estas questões ambientais no rio Uíma, não reagirem energicamente e juntarem a sua voz ao BE na exigência de responsabilidades a quem de direito, e parece-me que nisto a Câmara também terá que dar o seu parecer.

Anónimo disse...

fdp

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL