sábado, 13 de outubro de 2007

Blogosfera é cada vez mais usada para divulgar exposições de museus e atrair visitantes

A blogosfera é um universo na Internet a que recorrem cada vez mais pessoas ligadas aos museus, para divulgar exposições e outras actividades que atraiam visitantes, indicou hoje uma especialista em Lisboa, num encontro sobre gestão cultural.
Ana Pires, consultora nesta área, falava durante os Primeiros Encontros de Gestão Cultural/Fórum Cultura e Criatividade 07, que decorrem até sexta-feira no Museu Colecção Berardo, organizados pela Associação Portuguesa de Gestão Cultural (APGC), em parceria com a Agência Inova.A especialista da Soft Limits - empresa que criou o site Matriz, com o inventário das colecções museológicas do Instituto Português de Museus - apontou que uma primeira análise deste fenómeno divulgada pela Rede Portuguesa de Museus (RPM), indica que existem actualmente 17 blogues com temas relacionados com a museologia."A Internet deixou de ser passiva e a blogosfera é um instrumento extraordinário para promover os museus, ligá-los entre si e atrair visitantes", salientou a consultora, acrescentando que os blogues são criados a título individual ou colectivo, por pessoas ligadas à área, grupos de amigos dos museus e até as próprias instituições.Um blog é um registo na Internet criado por um ou vários autores com opiniões, informações e imagens, que tem a particularidade de ter actualizações muito frequentes e conter ligações à comunidade da blogosfera, criando uma rede em permanente comunicação.De acordo com Ana Pires, os blogues mais consultados com temas relacionados com museus são nomeadamente o do Mosteiro de Tibães (http://www.mosteirodetibaes.blogspot.com), "um dos pioneiros", o do Museu Municipal de Estremoz, No Mundo dos Museus, (http://nomundodosmuseus.worpress.com), outro criado pelos Amigos do Museu de Évora, um do Museu do Abade de Baçal, um intitulado Casas-Museu Portuguesas em Acção (http://casasmuseuemaccao.blogs.sapo.pt), e o Expressarte, dedicado à arte contemporânea.Dos vários exemplos mencionados pela especialista, também destacou um dedicado ao Museu da Chapelaria (http://www.museudachapelaria.blogspot.com) em São João da Madeira: "Não conhecia, mas pela apresentação deste blog fiquei cheia de vontade de lá ir", comentou, acrescentando que a apresentação dinâmica do museu chama a atenção."Como a área da cultura não tem geralmente meios financeiros, os blogues são uma forma barata e muito útil de divulgar as exposições e as actividades dos museus", sustentou, sublinhando que esta é uma ferramenta fácil de usar, que permite criar ligações e intensificar a comunicação entre pessoas interessadas na área da museologia.Cerca de meia centena de profissionais ligada à gestão cultural, nomeadamente proveniente de museus e autarquias, está a participar nestes Primeiros Encontros de Gestão Cultural/Fórum Cultura e Criatividade, que têm como objectivo convidar à reflexão sobre a gestão e a economia da cultura em Portugal, segundo os organizadores.A ministra da Cultura, que tinha sido convidada para a sessão de abertura, mas não pode estar presente, enviou uma declaração que foi lida pelo director-geral do Museu Colecção Berardo, Rui Silvestre.Na mensagem, Isabel Pires de Lima considera a iniciativa "muito oportuna" devido à "crescente importância da gestão cultural para o desenvolvimento" e defende que "a sociedade civil pode fazer a diferença" nesta área.Como o tema da gestão cultural é vasto, a APGC, com sede no Porto, onde tem realizado as suas iniciativas, optou por circunscrever aos museus este primeiro encontro de Lisboa, mas futuramente abordará a gestão de outros espaços culturais, nomeadamente as salas de espectáculos.No dia 12 de Outubro, para falar sobre o poder local e a gestão cultural participam no fórum, entre outros, os vereadores da cultura Ana Clara Justino, da câmara de Cascais, Amadeu Albergaria, da câmara de Santa Maria da Feira e Isabel Bica, da câmara de Portimão.Sobre as indústrias criativas em Portugal falarão no fórum, entre outros, Guta Moura Guedes, da Fundação Casa da Música, José Mateus, da Trienal de Arquitectura de Lisboa e Pedro Costa, do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e Empresas.As sessões estarão organizadas para decorrer com dois períodos: um de intervenções dos participantes e o outro de debate aberto ao público, que pode participar mediante inscrição prévia.

1 comentário:

kaska disse...

É sem dúvida importante este tipo de divulgação.
Cumprimentos

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL