sábado, 10 de janeiro de 2009

Suspeito de burlas a seguradoras vai para a cadeia...

Estão em prisão preventiva dois dos três principais suspeitos de terem participado numa mega burla, relacionada com a simulação de acidentes rodoviários, que terá lesado companhias de seguros em mais de 750 mil euros.

Ontem, no Tribunal de Espinho, um terceiro arguido voltou a não comparecer em tribunal alegando problemas de saúde.
Ouvido ontem por um juiz, um dos suspeitos, funcionário de um stande de automóveis em Santa Maria da Feira, vai continuar em prisão preventiva, apesar de ter solicitado a substituição daquela medida de coacção pela colocação de pulseira electrónica. A juíza espera por um parecer do Instituto de Reinserção Social para tomar uma nova decisão.

O segundo elemento, proprietário de um stande de automóveis nas Caldas de S. Jorge, também no concelho da Feira, que compareceu pela primeira perante o Tribunal de Espinho e que se encontrava em liberdade, viu alterada a medida coacção, ficando também em prisão preventiva.

Um terceiro elemento, proprietário de uma oficina de Lobão, que foi convocado a comparecer no tribunal, faltou pela segunda vez à chamada.

O JN apurou que a defesa terá evocado, mais uma vez, problemas de saúde para que aquele empresário não se tivesse apresentado. Estará hospitalizado devido a doença súbita.
O processo, que foi investigado por uma equipa de cinco elementos da PSP de Espinho, incluiu um total de 46 arguidos.

Os principais arguidos estão indiciados por crimes de burla relativa a seguros, falsificação de documentos e atentado à segurança rodoviária. São acusados de simular acidentes ou provocá-los, sobretudo em rotundas - uma delas seria a de Santo Ovídio, em Gaia.
In JN Online.

1 comentário:

ALSAN disse...

Propretario dum stand de automoveis ou proprietario duma oficina de automoveis ?

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL