sexta-feira, 6 de abril de 2012

Várias Câmaras Municipais estão a isentar as taxas publicitárias para que as empresas não fechem, num apoio claro ao comercio e industria… Um exemplo que Santa Maria da Feira não segue…

pubpub2

9 comentários:

Anónimo disse...

Será de aconselhar os comerciantes, feirenses e não só, a ler o Decreto Lei 48/2011 e sobretudo o seu artigo 31º. Como se pode ler na proposta publicada, Câmaras há que estão a meter as tabelas de taxas (de publicidade) no escaninho escuro das trapalhadas.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

Direi ainda e este mesmo propósito que ouvi dizer que algumas grandes empresas do concelho suspenderam processos de licenciamento que tinham em curso. Por certo que estarão suportadas nos seus gabinetes jurídicos.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

RESOLVE-SE ASSIM:
À
Câmara Municipal de Santa Maria da Feira
Fax 256.370.801

Exmos Senhores;

Assunto: Licenciamento de Publicidade.

V/ Ofício Nº., de.03.2012.

Em resposta ao v/ ofício acima referido, vimos informar V. Exªs que retiramos a publicidade que existia na parede do edifício onde se situa esta Empresa e identificativa da mesma.

Deste modo já não há lugar ao pedido de licenciamento.

Por outro lado trata-se de uma indústria, sem venda ao público, e não de um estabelecimento comercial, pelo que, segundo julgamos, não necessita do horário de funcionamento alusivo no v/ ofício, uma vez que temos o horário de trabalho da nossa associação.

Apresentamos os n/ melhores Cumprimentos,

Anónimo disse...

Sem prejuizo do envio de cartas à Câmara a protestar por tão vil cobrança, a mesma carta comunicaria que o reclame não seria retirada, mas sim coberta com pano negro. Os comerciantes fariam sentir que não aceitavam semelhante tributo e a Câmara teria que ceder e fazer como a Câmara de Albufeira.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

A Firma não está de luto Sr. Pinto a câmera é que devia de estar...

está a enterrar o concelho.-

Anónimo disse...

Senhor Anónimo, eu não disse que as firmas que tapam os seus reclames com pano ou plástico preto estão, elas mesmas, de luto. O sentido seria mesmo o de dar a entender que o concelho ficaria de luto por estar a ser esbulhado pela sua própria Câmara. As firmas usariam essa forma para manifestar protesto. Quem enterra o concelho com sucessivos impostos é a Câmara.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

tapar com um pano preto ou um plástico é uma questão de estética.
para a minha isso não tenho gosto nela e não vou estragar a fachada com um pano preto sr.pinto

Anónimo disse...

O tapar com pano ou tarja preta seria uma forma de protestar contra um tributo que soa a injusto e, segundo muitos juristas, e não só, é ilegal. Dessa maneira protestava-se e evita-se o pagamento, sem ter de recorrer a outro afrontamento com os esbulhadores. Outros optaram por, pura e simplesmente, retirar os reclames, o que será também uma solução. Se for tapado e a situação se alterar, caso a Câmara venha a reconhecer que não pode continuar a sacar, a reposição seria fácil. Só tirar o pano preto.
Cada qual decide no que é seu e decide se quer ou não pagar o tributo.

José Pinto da Silva

Anónimo disse...

ora nem mais

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL