segunda-feira, 28 de novembro de 2011

in... Terras da Feira - (hoje)

casa de Pines
Caldas de S. Jorge
Enquanto a Câmara diz estar a traçar o futuro da Casa de Pines
Reconstrução como unidade hoteleira é ideia com muitos adeptos 

Com o cenário da crise bem presente são poucos os que em Caldas de S. Jorge ainda acreditam na recuperação, a curto prazo, da casa de Pines, uma casa tradicional de lavoura, na encosta da margem sul do rio Uíma, que chegou à posse da Câmara na última década e que se encontra praticamente em ruínas. Quando se fala num destino para aquele espaço, as opiniões convergem em sentido único: é o espaço ideal para construir um hotel de apoio às Termas.O maior problema é mesmo a falta de dinheiro.
O vereador do Planeamento e Urbanismo, José Manuel Oliveira, tinha prometido levar à última reunião de Câmara uma proposta de aproveitamento da casa de Pines, mas... acabou por não levar.

in Terras da Feira 

...E prontos. Palavras para quê ? Resta-nos agora aguardar com cara de...
...parvos novos desenvolvimentos sobre este assunto, fazendo votos para que no futuro o sr vereador seja mais responsável nas afirmações que profere.
Digo eu 

Até já.

...galhofa !

domingo, 20 de novembro de 2011

Hoje pelas 19h30 na RTP2... Não percam...

Muito bom dia, Em anexo envio o Press Release e a Sinopse Geral referente à adaptação do livroViagem ao Tecto do Mundo (Editorial Presença), à televisão (série documental de 4episódios para a RTP2) com estreia marcada para o 20 de Novembro, pelas 19:30, naRTP 2 e intitulada Himalaias – Viagem dos Jesuítas PortuguesesOs restantes três episódios serão transmitidos, à mesma hora, nos domingosseguintes.

Ou seja, dia 27 de Novembro e dias 4 e 11 de Dezembro.Convido-vos a participar nesta viagem impressionante pela história (400 anos da idados primeiros ocidentais – o padre António de Andrade e outros jesuítas - aoTibete), e pelos mais sagrados locais do planeta, assistindo ás emissões Podem ver o trailler da série nos seguintes endereços de Facebook e Youtubehttp://www.facebook.com/photo.php?v=303606069650238 http://www.youtube.com/user/farolportugal?feature=mhsn Estou à vossa disposição para quaisquer esclarecimentos sobre este assunto. Agradeço que divulguem este projecto pelos vossos contactos. Muito obrigado pela atençãoOs meus mais sinceros cumprimentos, Joaquim Magalhães de Castro

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

CASA DE PINES - ÚLTIMA HORA

...pensamento.




O Aviltante Conceito da Perfectibilidade Humana
Converter em realidades os nossos sentimentos e propensões individuais, transformar as nossas disposições de ânimo em medidas do universo, acreditar que, porque desejamos justiça ou amamos a justiça, a Natureza terá necessariamente de ter o mesmo desejo ou o mesmo amor, supor que, porque uma coisa é má, ela pode ser tornada melhor sem a piorar, estas são atitudes românticas e definem todos os espíritos que se revelam incapazes de conceber a realidade como algo situado fora deles próprios, como crianças implorando por luas nesta Terra.
Quase todas as modernas reformas sociais são concepções românticas, um esforço para acomodar a realidade aos nossos desejos. O aviltante conceito da perfectibilidade humana.

Fernando Pessoa (Barão de Teive), in "A Educação do Estóico"

...tá tudo pela hora da morte.

Data de publicação: 23-07-2010
N.º Procedimento: 187953
Tipo: Ajuste Directo

Listagem de entidades adjudicantes

     NIF                           Nome entidade adjudicante

501157280                Município de Santa Maria da Feira

Listagem de entidades adjudicatárias
   
     NIF                         Nome entidade adjudicatária

505040840               Biodouro-Produtos e Equipamentos de Limpeza, Lda

Objecto do contrato: A limpeza do recinto do evento Feira Medieval que se realiza no Municipio de Santa Maria da Feira, freguesia da feira, na zona do castelo, rossio e imediações

Data da celebração de contrato: 23-07-2010
Preço contratual: € 69.481,50
Prazo de execução: 11 dia(s)
Local de execução: Portugal - Aveiro - Santa Maria da Feira

Tendo em conta o montante envolvido e o prazo de execução do contrato celebrado entre o Município de Santa Maria da Feira e a Biodouro, é caso para dizer que se calhar faz sentido começar a introduzir nas coreografias de alguns espectáculos associativos, o balde e a vassoura.
Fica a ideia,

Até Já

...Humor esquisito !



quarta-feira, 16 de novembro de 2011

...reflexões

No site da Câmara da Feira, é apresentada informação sobre a execução do Plano de Actividades da CMSMF referente aos anos 2005,2006,2007,2008, por razões que desconheço omite-se o ano de 2009 e por fim, 2010.
No que respeita ao Gabinete de Planeamento e Urbanismo, e referente a este ano de 2010, encontramos a descrição das seguintes actividades na freguesia de Caldas de S. Jorge e que transcrevo na íntegra.
Assim, no ponto 14, sob o título Planos, Estudos e Projectos, podemos ler na alínea 2 a seguinte descrição:
Projecto Paisagístico da Zona Envolvente do Ilha Bar - Caldas S. Jorge
Projecto e acompanhamento à construção de um edifício destinado a estabelecimento de restauração e bebidas, substituindo outro que se encontrava sem uso e em elevado estado de degradação. Esta intervenção incluindo igualmente os arranjos exteriores envolventes e respectivas infra-estruturas.
Produziram-se pequenas alterações ao projecto de paisagismo, decorrentes das situações de obra. Alterações que envolveram a revisão de diversas peças desenhadas: plantas, cortes, planos de plantação das árvores, arbustos e herbáceas. Para além disso, novos desenhos foram produzidos conforme surgiram as necessidades de incluir em obra novos elementos, foi o caso do desenho do muro junto à fonte.
E mais adiante, na alínea 9
Projecto do Parque da Zona Envolvente ás Termas das Caldas de S. Jorge
Na sequência da conclusão da obra do Ilha bar, pretendeu-se dar continuidade ao estudo da requalificação da zona fluvial pertencente à área envolvente do complexo das Termas das Caldas de São Jorge. Com este objectivo, desenvolveu-se uma análise dos terrenos adjacentes no sentido de estabelecer um programa para elaborar um Estudo Prévio para um parque fluvial das Caldas de São Jorge. Esta análise concluiu-se com uma planta e um programa preliminar.

Pergunto: A existir, que é feito dessa análise e desse programa preliminar ?
Não será este um assunto que merece ser discutido em Assembleia de freguesia no sentido de fazer convergir eventuais sensibilidades e/ou antagonismos políticos? Ou mesmo poder beneficiar de um ou outro contributo que possa surgir no âmbito dessas discussões?
Por estas e por outras, demonstra-se que a capacidade interventiva de uma Junta, não depende “unicamente” de questões ideológicas. Na realidade depende da acutilância de quem tem a responsabilidade de zelar pelos interesses dessas mesmas freguesias. Tudo o resto, é letra morta.
Digo eu.

Até Já

terça-feira, 15 de novembro de 2011

...parabéns PORTUGAL.

os Vósnios erzegovinos seguiram atentamente o jogo através do serviço público da RTP internacional. Na imagem pode ver-se a reacção de dois adeptos Vósnios ao primeiro golo de Cristiano Ronaldo marcado de livre directo. O resultado final foi:
PORTUGAL - 6     BÓSNIA - 2
Até Já 

Escritores da Vila Termal, A não perder.

A não perder.
Escritores de Caldas de São Jorge:
Joaquim Magalhães de Castro
"Himalaias: “Viagem dos Jesuítas portugueses"
Primeiro episódio da série documental "Himalaias:
“Viagem dos Jesuítas portugueses"
estreia no dia  
20 de Novembro pelas 19h30 na RTP2.
Uma produção Farol de Ideias.
Ainda
Albano Gomes
De Neuchatel escreve o Senhor Albano Gomes
Noticiando o aparecimento e venda de mais um livro
Da sua autoria: “MEMÓRIAS Dr. Joaquim Almeida Gomes”

...A gente oube cada uma !

Câmara confirma que vai entrar em incumprimento em 2012

Os prazos de pagamentos aos empreiteiros e as dívidas da Câmara da Feira mereceram reparos dos vereadores socialistas. O executivo “laranja” disse, na última reunião camarária, que pagamentos são feitos a 171 dias e que, em 2012, as dívidas vão agravar-se.

O Orçamento de Estado de 2012 prevê um corte de 5% nas transferências para os municípios portugueses (*) a que se juntam novos limites ao endividamento. As regras foram agora decididas e vão colocar grande parte dos municípios portugueses a braços com dívidas que não contavam. A Câmara da Feira é uma das autarquias que, em 2012, vai estar, por isso, "no vermelho".
O assunto foi despoletado, na última reunião do executivo camarário, pela vereadora do PS. Margarida Garizo que questionou os sociais-democratas sobre os valores em dívida que estarão em causa e sobre os prazos de pagamento aos construtores.
Celestino Portela, responsável pela pasta das Finanças, salientou que o prazo de pagamento aos fornecedores é de 171 dias
Quanto ás contas de 2012, Alfredo Henriques, presidente do executivo avisa que a Câmara vai entrar em "incumprimento".
Uma resposta que não satisfez a socialista Margarida Garizo, segundo a qual notícias vindas a público, dão conta de que os pagamentos às empresas de construção civil efectuados pela Câmara da Feira ultrapassam os números referidos pelo executivo laranja.
Notícias que o vereador Celestino Portela coloca em causa, uma vez que, no seu entender, são baseadas num estudo cuja fiabilidade "poderá ser (?) duvidosa". "O estudo é feito mediante o envio de um inquérito às empresas e nem todas respondem" - aponta o autarca "laranja".
Por isso, o vereador reitera que os prazos de pagamentos estão situados nos 171 dias. "Haverá uma outra empresa em que os prazos sejam mais alongados, mas os grandes pagamentos são feitos em dois ou três meses, porque as verbas são oriundas dos fundos comunitários" - acrescenta o presidente do executivo.
Alfredo Henriques considera, por isso, que as empresas que respondem de outra forma aos inquéritos sejam aquelas mais pequenas, com contratos de obras mais pequenos. "Damos prioridade às grandes obras", justifica.
in Correio da Feira

Pergunto : Isto de dar prioridade às grandes obras e tendo em consideração as previsíveis dificuldades financeiras para 2012 não afastará como consequência destas declarações as empresas (grandes e pequenas) da execução das pequenas obras ?
Por outro lado, parece-nos evidente que o critério de pagamentos não terá tanto a ver com o "tamanho" da obra, mas sim com o tamanho da empresa, dado que os contratos de obras mais "pequenos" são entregues às empresas mais "pequenas" como é salientado no artigo do Correio da Feira?
Por outro lado ainda, o que poderá justificar que um serviço prestado "hoje" só seja pago daqui a 171 dias?
Porque é que a câmara não espera 171 dias até ter o dinheiro e depois paga a pronto a essas empresas até porque se trata de verbas comunitárias ?
Mesmo considerando a aparente demagogia do argumento, a moralização do mercado no que respeita ao cumprimento dos prazos de pagamento passa pela inversão do ónus, i.e. a câmara quando adjudica uma qualquer obra deve garantir o cumprimento pontual das suas obrigações. Esta é também uma forma de ajudar à alavancagem da economia.
Digo eu,

Até Já.

não consigo decidir o título...

...visualmente profundo ou irremediavelmente pró fundo ?

Até Já

...análise interessante.

Eusébio qualificou hoje como estúpida e sem  sentido a atitude de Alan, futebolista do Sporting de Braga, ao ter acusado  publicamente o colega de profissão Javi Garcia de lhe ter chamado "preto"

"Disse que o Javi Garcia lhe chamou preto. E o que é que ele é? Se lhe  tivessem chamado branco é que poderia ficar ofendido. Quantas vezes me chamaram  isso e muitas mais coisas. Se eu fosse reagir, estava tramado, não acabava  nenhum jogo. O Alan foi estúpido ao trazer isso a público. O que ele fez  não faz sentido", disse Eusébio à agência Lusa, durante a apresentação do  livro "Crónicas de Futebol & Bem dizer III", de João Malheiro .
O antigo avançado lembrou que as tentativas para o desestabilizar eram mais do que frequentes: "As coisas que eu ouvia para me tentarem enervar e desconcentrar, acontecia em quase todos os jogos, mas eu não ligava nenhuma, aquilo entrava e saia, e eu mantinha a concentração. O que eu queria era jogar a bola". Para o "pantera negra" era isso que Alan "deveria ter feito", caso seja verdade aquilo de que acusou Javi Garcia, porque é algo que "não vai provar". Eusébio admite também que o jogador bracarense possa "estar a inventar para criar polémica", alegando "conhecer bem" o médio espanhol do Benfica, a quem considera um "grande profissional". O mesmo conselho dá Eusébio a Cristiano Ronaldo, que tem reagido mal às provocações que vêm das bancadas, nomeadamente através da projeção de raios laser ou gritando o nome do argentino Lionel Messi, como sucedeu nas últimas deslocações da seleção a Chipre e à Bósnia. "Não quero estar a dar conselhos ao Cristiano Ronaldo, ele é que sabe, é problema dele. Mas sou seu amigo, sou mais velho, e se tenho a dizer alguma coisa em relação a isso é que ele não devia ligar a essas provocações", disse Eusébio, avisando o capitão da seleção portuguesa de que estas "vão continuar".
A propósito de Ronaldo e Messi, o "pantera negra" recuou aos seus tempos de jogador, nos quais discutiu com "Rei" Pelé o estatuto de melhor jogador do mundo, discussão essa que, para muitos, ainda se arrasta até aos dias de hoje. "Chamavam-me o Pelé da Europa e nunca fiquei chateado por isso. Mas porque é que não era ele o Eusébio da América do Sul? Aliás, no único campeonato do mundo em que estivemos os dois, em 1966, fui o melhor marcador", observou Eusébio, seguro de que só não ganhou "tantos títulos quanto Pelé" pelo facto de "não ter nascido no Brasil".
Sobre o jogo decisivo de terça-feira frente à Bósnia, Eusébio está otimista: "Vai ser difícil, mas eu acho que temos 55 por cento de hipóteses de ir ao Euro2012. E não digo uma percentagem maior porque não gosto dessa coisa de ser favorito. Mas se jogarmos aquilo que sabemos vamos ganhar à Bósnia".
No entanto, alerta para o "respeito" que a seleção bósnia merece, contando com "jogadores que jogam em alguns dos maiores clubes de Inglaterra e da Alemanha", e para o "perigo que o resultado 0-0 pode representar", caso o adversário faça um golo, o que "obrigaria Portugal a marcar dois", o que se tornaria "complicado".
in LUSA

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

... A talho de foice.

Praia Fluvial da Mamoa

Notícia publicada no site da Câmara da Feira em 6 de Maio de 2011 e referida no semanário Terras da Feira. 
O vereador do pelouro de Obras Municipais, Protecção Civil e Ambiente, confirma que “dentro de aproximadamente três meses a praia fluvial da Mámoa estará apta a receber veraneantes”.
Emídio Sousa considera que este espaço é uma novidade na Região e não tem dúvidas de que há muita gente apreciadora deste conceito de praia fluvial. “

...pois há...

...a avaliar pelos primeiros "invernariantes" que começaram a chegar a Milheirós de Poiares.

Até Já

EXPECTATIVA...


Conforme noticiado, hoje dia 14, será conhecido o destino provável a ser dado à casa de Pines.
A expectativa é grande. 

Até já

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

...a preparar 2012.

...anda cá meu pombo !

A proliferação das hortas como resposta natural a uma crise que está para durar, implica que se comece também a pensar seriamente no aproveitamento dos recursos cinegéticos do concelho. Por isso e a título meramente informativo, apresentamos a legislação que regulamenta o acesso a esses mesmos recursos
Portaria n.º 872/2008 de 13 de Agosto
Pela Portaria n.º 1092/2003, de 30 de Setembro, foi criada a zona de caça municipal de Santa Maria da Feira (processo n.º 3479 -DGRF), situada no município de Santa Maria da Feira, válida até 30 de Setembro de 2009, e transferida a sua gestão para a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira.
Veio agora a entidade titular daquela zona solicitar a sua extinção, requerendo uma zona de caça municipal que, para além de outros, englobasse também parte daqueles terrenos. Assim:
Com fundamento no disposto na alínea a) do artigo 22.º e no artigo 26.º do Decreto -Lei n.º 202/2004, de 18 de Agosto, com as alterações introduzidas pelo Decreto –Lei n.º 201/2005, de 24 de Novembro, ouvido o Conselho Cinegético Municipal:
Manda o Governo, pelo Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, o seguinte:
1.º É extinta a zona de caça municipal de Santa Maria da Feira (processo n.º 3479 -DGRF).
2.º Pela presente portaria é criada a zona de caça municipal de Santa Maria da Feira (processo n.º 5000 -DGRF) e transferida a sua gestão para a Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, com o número de identificação fiscal 501157280 e sede na Praça da República, 4524 -909 Santa Maria da Feira, pelo período de seis anos.
3.º Passam a integrar esta zona de caça os terrenos cinegéticos cujos limites constam da planta anexa à presente portaria e que dela faz parte integrante sitos nas freguesias de Argoncilhe, Vila Maior, Sanguedo, Vale, Gião, Lobão, Fiães, Louredo, Lourosa, Guisande, Santa Maria de Lamas, Caldas de São Jorge, São João de Ver, Rio Meão, Romariz, Pigeiros, Sanfins, Feira, Escapães, Souto, Espargo, Milheiros de Poiares, Fornos, Arrifana,Travanca e Mosteiro, município de Santa Maria da Feira, com a área de 9168 hectares
4.º De acordo com o estabelecido no artigo 15.º do Decreto -Lei n.º 202/2004, de 18 de Agosto, com as alterações introduzidas pelo Decreto -Lei n.º 201/2005, de 24 de Novembro, os critérios de proporcionalidade de acesso dos caçadores a esta zona de caça compreendem as seguintes percentagens:
a) 30 % relativamente aos caçadores referidos na alínea a) do citado artigo 15.º;
b) 45 % relativamente aos caçadores referidos na alínea b) do citado artigo 15.º;
c) 20 % relativamente aos caçadores referidos na alínea c) do citado artigo 15.º;
d) 5 % aos demais caçadores, conforme é referido na alínea d) do citado artigo 15.º
5.º As restantes condições de transferência de gestão encontram -se definidas no plano de gestão.
6.º A zona de caça criada pela presente portaria produz efeitos relativamente a terceiros com a instalação da respectiva sinalização.
7.º É revogada a Portaria n.º 1092/2003, de 30 de Setembro.

Pelo Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, Ascenso Luís Seixas Simões, Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas, em 1 de Agosto de 2008.

Até já

...como controlar custos numa obra.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

CCTAR

A propósito do projecto CCTAR – Centro de Criação de Teatro e Artes de Rua, li recentemente que o mesmo foi reformulado pela autarquia tendo-se conseguido uma economia de custos de aproximadamente 4,3 milhões de euros relativamente ao valor inicialmente proposto de 12 milhões.
Aparentemente esta alteração insere-se numa estratégia que visa a contenção de custos, presume-se que sem comprometer os propósitos que estão na base deste empreendimento nomeadamente no que respeita às valências que segundo consta serão as mesmas.
Ora, esta redução significativa no custo total da obra que passa agora a ser de cerca de 7,7 milhões, portanto uma redução de 35,8%, leva-me a formular o seguinte raciocínio. Então, porque é que não se começou logo por aí ? , isto é, porque razão não se começou logo por conceber um projecto que apresentasse uma relação custo benefício mais equilibrada equacionando-se inclusivamente e desde logo a volumetria e a qualidade dos materiais a serem utilizados ?

Não deixa de ser estranho que se projecte uma obra de 12 milhões para algum tempo depois, os próprios promotores (ou se preferirem os gestores da coisa pública democraticamente eleitos ) virem demonstrar categoricamente ( sem que disso tenham consciência porque de outra forma não o fariam ) que afinal 7,7 milhões são suficientes para a realização da obra.
Na realidade e em termos práticos significa dizer que se não fosse esta “oportuna” reformulação do projecto CCTAR , a autarquia iria “desperdiçar” 4,3 milhões de euros em sabe-se lá bem o quê.
Materiais? Hummmm

Até Já

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Casa de Pines

Parece (?) que finalmente a casa de Pines vai passar a merecer a devida atenção por parte da Câmara da Feira.
Perante a acusação (fundamentada) de António Bastos do PS de que aquele espaço tem sido negligenciado pelo município, originou a que, numa lógica de acção – reacção, o vereador do pelouro do urbanismo se apressasse a anunciar que vai apresentar na próxima segunda feira, dia 14, uma proposta para o aproveitamento / requalificação daquele mesmo espaço.
Pergunto:
1 – Então porque é que já não o fez antes ?
2 – Vai apresentar uma proposta ou vai REPRODUZIR uma de entre as inúmeras propostas que ao longo do tempo lhe foram sendo sugeridas e que por pura inépcia foram ficando guardadas na pasta das intenções?
3 – para além da questão “estética” que é obviamente importante, essa proposta irá acautelar algum tipo de dividendos que possam beneficiar a freguesia, contrariamente ao que se passou com o processo do Ilha-Bar ?
E já agora que o assunto passou a fazer parte da agenda do respectivo pelouro, questione-se a junta de freguesia na pessoa do seu presidente no sentido de saber qual seria na sua opinião ( considerando que a tem ) qual o melhor destino a ser dado àquele espaço.
Ao ritmo a que as coisas se fazem no concelho em geral e na freguesia em particular, não me surpreende que o destino da casa de Pines seja (…)
(...) Este.
Até Já

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

...pra desmoer !

pois é...

O semanário “Correio da Feira” noticiou que, na última reunião da Câmara Municipal, foi declamada poesia para lembrar o Dia da Erradicação da Pobreza. Um bonito momento proporcionado pelo Clube de Poesia da Divisão de Acção Social e Qualidade de Vida da Câmara Municipal, segundo é referido no mesmo jornal. Quisemos associar-nos à iniciativa e por isso aqui vai.

Oração à Santinha

Oh santa Maria da feira
Eu não te conheço altar
Por isso para te rezar
Faço-o desta maneira

sendo eu um Teu devoto
que ando pra’qui a penar
diz-me lá se em quem voto
me sabe ou não governar?

Antes ser pobre, que nabo
Que a mim não embaraça
Mas brincar c’a desgraça
não lembra nem ao Diabo

então para acabar com a fome
e para se erradicar a pobreza
vai-se ao pobre, que mal come
e põe-se-lhe o IVA à mesa ?

diz-me lá Tu com franqueza
que não és de confusões
se no que respeita à pobreza
pode haver contradições ?

De uma coisa tenho a certeza
É que nisto das “erradicações”
Não é preciso muita esperteza
Para se encontrarem soluções

erradicamos a pobreza
só com duas opções
erradicando a riqueza
ou marcando eleições

Até Já

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL