sexta-feira, 30 de abril de 2010

Ex vereador das Caldas da Rainha e conhecido Arquitecto Jorge Mangorrinha, fala de Caldas de S. Jorge no seu Blog…

Ex vereador das Caldas da rainha e conhecido arquitecto Jorge Mangorrinha, fala de Caldas de S. Jorge no seu Blog e lança desafio à Autarquia Feirense.

Águas Turvas (3): Lixos nas Caldas de São Jorge?

Imagem: Fachada parcial do balneário termal das

Li e ouvi dizer que há quem queira depositar os lixos indiferenciados dos concelhos de Gaia e Santa Maria da Feira num aterro junto às Caldas de São Jorge, em vez de se optar pela adesão à Lipor. Os opositores entendem que o aterro prejudicará os recursos aquíferos e a imagem das Caldas de São Jorge. E parece que as Câmaras estão em silêncio.
Não costumo apenas opinar por aquilo que as notícias me sopram, e gostaria de saber se nos estudos prévios, supostamente de base técnica e científica como convém, são considerados a afectação eventual de recursos aquíferos e o impacte na economia associada a estas termas, principal actividade desta freguesia, numa das principais estâncias termais do país. E também, por outro lado, se esta é a única solução para estes lixos.
Talvez, neste espaço, possamos ter o contributo de quem, cumulativamente, exerce cargos importantes: de âmbito político em Santa Maria da Feira, de gestão das termas locais e de presidência da Associação das Termas de Portugal, para que possamos ter o outro (ou o mesmo) lado da verdade, a menos que prefira manter-se no silêncio e não nos esclarecer devidamente. Ficaremos atentos.

http://aoencontrodasaguas.blogspot.com/

Para conhecer melhor quem é este arq., deixámos aqui um pouco do percurso deste conhecido Arquitecto:

Jorge Mangorrinha é arquitecto do quadro da Câmara de Lisboa e investigador em Ordenamento Turístico e Termalismo. É delegado europeu da Rede de Cidades Termais. Em 2006 e 2007, foi coordenador científico do Rastreio e Levantamento dos Conjuntos Termais Portugueses, para o IPPAR. Entre 2002 e 2005, foi vereador na Câmara das Caldas da Rainha, com os pelouros do Planeamento Urbanístico, Património e Termalismo. Tem publicado diversos títulos, com especial destaque para a área do Termalismo.

Contas da Junta de Freguesia… 5 – 5 = 8

A apresentação de contas na ultima Assembleia de Freguesia realizada na Quarta-Feira, é vai ser um caso de estudo matemático!!! Alem de ninguém ter percebido nada das contas, ficam vários “lapsos” ou “erros” no relatório de contas, e ao que parece foi entregue o relatório errado aos elementos das Assembleia de Freguesia…

Contudo ficamos a saber que existia 5.000€ num ponto, e que a Junta gastou esses 5.00€ o que deu um total de (zero) 8.000€. Parece que é a chamada multiplicação dos euros!!!

No que diz respeito às casas de banho, que foram feitas e nunca acabadas, devia-se perto de 30.000€ ao empreiteiro, segundo o mesmo não recebeu ainda nada mas segundo a junta já só falta pagar perto de 2.000€!!!

Resumindo a nova matemática é a seguinte:

5 – 5 = 8

30.000 – 0 = 2.000

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Recta final do ZIP.ZIP REST CAFFE

Na Recta Final!!! Enfim, terra à vista!
ZIP.ZIP REST CAFFE
Não foi ao fundo… O Titanic foi…coitado!

Santa Maria da Feira: Bombeiro morre esmagado por máquina

Henrique Silva era conhecido como o “bombeiro herói”. Ontem faleceu na sequência de um acidente trágico, no porto de Leixões

Em Junho do ano passado, Henrique Artur Almeida e Silva, de 36 anos, salvou a vida de uma mulher de 51 anos que tinha caído a um poço. Quis o trágico destino que, ontem de manhã, um acidente de trabalho lhe ceifasse a vida, deixando a família e os Bombeiros Voluntários de Lourosa em choque.
Há 14 anos a servir os Bombeiros de Lourosa como voluntário, Henrique Silva, motorista de profissão, estava no porto de Leixões para efectuar uma carga. Sem que nada fizesse esperar foi colhido mortalmente por uma máquina que lhe acertou na traseira do camião.
A trágica notícia foi transmitida pela Polícia Marítima ao comandante da corporação, José Oliveira, que ficou com a triste missão de a transmitir à família. “Gelei completamente. Fiquei sem reacção e não sabia como comunicar esta triste notícia”, disse ao Diário de Aveiro, José Oliveira.
O comandante, acompanhado do presidente da direcção e do tesoureiro deslocou-se, então, a casa dos familiares para lhes dar a notícia. “Foram minutos horríveis e eu não estava capaz de dizer nada. Por isso, foi o presidente da direcção quem comunicou a notícia aos pais do Henrique”, desabafou José Oliveira, ainda incrédulo com aquilo que aconteceu ao seu bombeiro.

IN D.A.

COMUNICADO CONJUNTO DAS JUNTAS DE FREGUESIA DE PIGEIROS E C.S.JORGE…

sábado, 24 de abril de 2010

«Vamos festejar quando tivermos de festejar» - Vieira

sem título blank
Luís Filipe Vieira marcou presença, este sábado, na inauguração da nova imagem da Casa do Benfica em Caldas de São Jorge. O líder do clube da Luz diz que ainda não é tempo para festejar, pelo que preferiu apelar ao trabalho e ao respeito pelos adversários.
«Vamos festejar quando tivermos de festejar, mas ainda não chegou esse momento. O tempo agora é, ainda, de trabalho e de respeito pelos nossos adversários, porque ao contrário de outros que pensam que o respeito pelos adversários é sinal de fraqueza, para nós é o melhor sinal da nossa grandeza e da seriedade com que estamos em campo», disse Vieira.
Salientando que no futebol nunca se pode prometer nada, o presidente do Benfica deixou vincado, no entanto, que a equipa comandada por Jorge Jesus «é a melhor até ao momento, por isso está onde está». Resultado do trabalho e também, segundo referiu, «da serenidade, que contrastou com a angústia de outros, com a falta de humildade e com a negação das evidências». O agradecimento ao apoio dos adeptos não poderia faltar: «A confirmar-se – como todos esperamos – a conquista do título deste ano - uma grande parte desse êxito ficará para sempre ligado à vossa dedicação, ao vosso apoio e ao vosso suporte! Obrigado por isso!»
Vieira, que foi recebido pelo presidente da Câmara Municipal da Feira, Alfredo Henriques (afinal um confesso benfiquista), acompanhado por alguns «vices», agradeceu também ao líder da Casa do clube de Caldas de São Jorge, Armando Silva. A festa foi grande, iniciada nas termas locais, com a presença do rancho folclórico e de cerca de duas centenas de adeptos. Seguiu-se almoço, em Sandim.

A BOLA...

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Hoje no JN…

Ninguém está a favor da instalação do aterro

Depósito de lixo pode contaminar águas termais de Caldas de S. Jorge

 

____ CARLA SOFIA LUZ, ____

Ninguém quer o novo aterro de lixo, que servirá a população de Gaia e da Feira, na sua freguesia. Não há um único contributo favorável à construção do equipamento em Caldas de S. Jorge/Pigueiros ou em Canedo. Mas sobram argumentos contra a instalação.

Cerca de 92% dos 40 contributos, incluindo dois abaixo-assinados com 4529 subscritores, entregues na discussão pública do relatório do Instituto do Ambiente e Desenvolvimento da Universidade de Aveiro (IDAD) "opõem-se frontalmente" à construção do novo aterro na Feira. As reclamações chegam de moradores, das juntas e de outras entidades locais que recusam a colocação do equipamento na sua freguesia em particular. No entanto, há quem critique a insistência da Suldouro em depositar grande parte dos resíduos indiferenciados dos dois concelhos num aterro, em vez de optar pela adesão à Lipor.

A principal preocupação dos opositores à implantação de um complexo de tratamento de resíduos sólidos na área de 29,3 hectares na fronteira de Caldas de S. Jorge com Pigueiros é o funcionamento das termas. Estão certos de que o aterro arruinará o negócio de uma das três principais instalações termais do Norte do país, que emprega 60 trabalhadores e foi ampliada há sete anos e poderá até contaminar as águas.

O parecer, elaborado pelo engenheiro João Santos Baptista, da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, não descarta essa hipótese, repetida pelos directores clínico e técnico das Termas das Caldas de S. Jorge nas reclamações avaliadas pelo IDAD (instituto responsável pelo relatório que defende a instalação do aterro da Suldouro numa das duas localizações já referidas).

Câmaras em silêncio

Desde logo, João Santos Baptista alerta que "será difícil atrair termalistas/turistas para um local que, por força das variações da direcção dos ventos, pode estar sujeito a odores desagradáveis por períodos prolongados".

O impacto nas restantes unidades turísticas será semelhante, podendo conduzir à perda de empregos devido à redução da actividade ou encerramento de estabelecimentos. "É de prever uma redução drástica da atractividade turística da zona", pode ler-se no parecer do engenheiro, destacando que, independentemente da impermeabilização e da monitorização do futuro complexo, "não é possível garantir que nunca existirá qualquer infiltração" na zona de captações das termas.

Os pais dos alunos e os responsáveis pela gestão da escola da EB1 de Pigueiros e do jardim-de- -infância da Bajouca receiam que os odores do lixo depositado no futuro aterro prejudiquem as crianças, condicionando as actividades dos estabelecimentos de ensino e as brincadeiras no Parque de Lazer da Várzea. As escolas ficam a pouco mais de um quilómetro da área escolhida.

Já os críticos da opção de Canedo lembram que a freguesia teve uma lixeira durante 25 anos e ainda sofre impactos no Ambiente devido à emissão de lixiviados. Alertam, também, para a acumulação de equipamentos "que contribuem para a degradação da qualidade de vida", como a Estação de Tratamento de Águas Residuais, as linhas de alta tensão, as antenas de comunicações móveis e a construção em curso da A32. Essas críticas são reveladas no relatório final dos especialistas da Universidade de Aveiro.

As câmaras de Gaia e da Feira mantiveram o silêncio na discussão pública. Ao IDAD, não chegaram contributos de habitantes e de organismos de outras freguesias dos dois concelhos.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Edital da próxima Assembleia de Freguesia…

image Edital

O Presidente da Assembleia de Freguesia de Caldas de S. Jorge, faz público, de acordo com as disposições legais aplicáveis, que no próximo dia 28 de Abril de 2010, pelas 21.00 horas, na sede da Junta de Freguesia, se realizará a 1ª sessão ordinária da Assembleia de Freguesia com a seguinte ordem de Trabalhos:

I) Período antes da ordem do dia

II) Ordem do dia:

a) Apresentação e votação da conta de gerência de 2009.

b) Apreciação do inventário de bens e respectiva avaliação.

III) Depois da ordem do dia:

a) Intervenção do público.

Para constar, se publica este e outros de igual teor, que vão ser afixados nos habituais lugares desta freguesia.

Caldas de S. Jorge, 20 Abril de 2010

O presidente da Assembleia de Freguesia

----------------------------------

(Paulo Sérgio Valinho Luís)

TEATRO À RODA…

cartaz_dia_24_abril_2010_-_Teatro_à_Roda[1]

A Federação das Colectividades de Cultura e Recreio de Santa Maria da Feira, tem em curso uma iniciativa que tem por objectivo levar espectáculos de teatro produzidos pelos grupos locais à generalidade das freguesias do concelho. Assim se divulga o trabalho associativo concelhio e se promove o gosto pelo teatro.

A nossa freguesia receberá no próximo sábado 24 de Abril - 21.30h. - a associação "Gede" de Escapães com a peça de António Simões "O Bem Amado".

Convidamos toda a população, a assistir a este espectáculo no salão paroquial.

Com os melhores cumprimentos,

Juventude Inquieta

PUB…

PATCHWORK.jpg

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Regressando ao Aterro...

A falta de comunicação e informação leva a que se formem conjecturas que podem não ser correctas e, direi, até injustas.
Apareceu há dias na blogosfera um título a dizer que “Presidente da Junta quer Lixeira em Caldas de S. Jorge” e isto porque se escusou de assinar um documento a pedir uma Reunião Extraordinária da Assembleia Municipal para debater SÓ o caso da implantação do aterro
“Ex.mº Sr.
Presidente da Assembleia Municipal de S. Maria da Feira
Os Presidentes da Junta de Canedo, Pigeiros e Caldas de S. Jorge, bem como os membros eleitos para a Assembleia Municipal dessas freguesias, António Cardoso, Manuel Pinheiro e Telmo Gomes, vêm por este meio solicitar a V.ª Ex.ª que de acordo com a alínea c) do ponto 1 do artigo 10º, se digne convocar uma Assembleia Municipal Extraordinária com a seguinte ordem de trabalhos:
-Localização de um aterro sanitário no concelho de S. Maria da Feira.
Com os melhores cumprimentos Santa Maria da Feira, 23 de Março de 2010 “
A não assinatura deste documento foi concertada entre ambos os executivos de S. Jorge e Pigeiros (há quem diga que o Presidente da Junta de Canedo também não terá assinado), porque, por um lado acham que será mau partidarizar o tema e por outro que tinham já decidido, ambos os Presidentes da Junta, fazer uma intervenção de clara rejeição do aterro em Caldas/Pigeiros no período de Antes da Ordem do Dia da Reunião Ordinária de Abril. Esta explicação terá sido dada aos promotores do pedido de reunião extraordinária. A confirmar isso mesmo, emitiram um comunicado conjunto assinado pelos seis membros de ambos os executivos, comunicado que tem a data de 29 de Março e que foi passado aos promotores do pedido de reunião extraordinária. Deveria ter sido tornado público. Do meu ponto de vista. Transcrevem-se dois parágrafos desse comunicado: “… Desde que foi nomeado o local de Pigeiros/C.S.Jorge como possível implantação do Aterro sanitário, em reunião dos executivos das duas Juntas de Freguesia, ficou assente estarmos unidos nesta posição contra a localização do dito aterro. Pelo facto de entendermos que as nossas razões e argumentos são comuns, fundamentalmente por questões de defesa da saúde pública e por razões de ordem técnica e ambiental, ficou também acordado que neste processo estaríamos sempre unidos no interesse das duas populações, assumindo o compromisso de nunca serem permitidas quaisquer intromissões de ordem política.
Temos já em andamento a elaboração de um conjunto de argumentos técnicos e um pedido de intervenção dos dois Presidentes de Junta, para exporem em sede própria, a ser solicitada, na próxima Assembleia Municipal ordinária que será no próximo mês de Abril”.
Claro que esta posição das duas Juntas de Freguesia nada anulam a hipótese de um pedido de convocatória de uma outra reunião da Assembleia Municipal, esta extraordinária – a acontecer, será depois da ordinária de Abril – em que se debata, e eventualmente se delibere algo sobre a localização do aterro, ou mesmo sobre a não construção do aterro no concelho de Santa Maria da Feira. Desde que se encontre e sugira alternativa. Os autarcas de Canedo, e são acompanhados por algumas forças políticas, voltam à hipótese de adesão à LIPOR e terão mesmo, recentemente, falado com a respectiva gestão e insinuando que a Câmara não terá tornado publica a troca de informações. Não sei se há comunicação posterior, mas, em 19 de Junho de 2008, a Câmara remeteu à LIPOR o ofício 14917 que diz: “ Cumpre-me informar V. EXa. que esta Câmara Municipal, em sua reunião ordinária de 9 do mês em curso, deliberou dar seguimento à proposta da Assembleia Municipal, aprovada na sessão extraordinária de 29 de Maio findo, no sentido de que seja considerada a adesão do Município de Santa Maria da Feira à LIPOR, iniciando o respectivo processo de consulta.
Solicito, assim, a V. Exa. que informe esta Câmara Municipal sobre as condições propostas pela LIPOR para uma eventual adesão deste Município…”.
A LIPOR respondeu em 10 de Julho de 2008 através do ofício nº. 015413 a confirmar, de resto, informação já dada em Março de 2007. Transcrevem-se passagens do ofício de 10 de Julho.
“… Contudo, para dar resposta mais confortável a situações como a que nos é colocada por essa Câmara Municipal, a LIPOR terá que ter resposta positiva do Governo para a Construção e Montagem de uma 3º. Linha na nossa Central de Valorização Energética.
Respondendo às questões colocadas, relembro:
a) Adesão como Associado:
- o Município terá que liquidar uma quota de € 5.961.692,10 (valores de 2007) para se tornar co-priprietário dos nossos activos; a realização deste valor será objecto de Plano a apresentar pela Autarquia;
- a Tarifa a praticar (valores de 2008), nesta opção de Associado é a tarifa em vigor na LIPOR, que é de € 32,30/tonelada (parte de exploração) e € 13,84/tonelada (parte da comparticipação para investimentos).
NOTA – as tarifas em vigor têm em conta os cenários actuais (duas linhas na Central de Valorização Energética) e não os cenários futuros, pois para tais cenários terão que ser caalculados valores na base de intenções firmes e não segundo meras hipóteses. – O Município terá de garantir, de forma inequívoca a disponibilidade de uma ares de terreno, com dimensão a acordar para, no futuro, a Lipor poder instalar com concelho uma infraestrutura de Valorização de Resíduos. – Nesta Opção (Associado) a Câmara Municipal beneficia de apoios anuais de diverso tipo, que vão desde a cedência de viaturas de recolha de resíduos a equipamentos de deposição de resíduos, etc.
b) Adesão como Cliente
A tarifa a cobrar ao Município, na opção de cliente e mantendo os pressupostos e configuração actual do Sistema LIPOR, seria fixada no intervalo entre € 32,57 e 42,16/tonelada (valores de 2007) para utilização da Central de Incineração/Aterro Sanitário; seria de € 0 a 20,00/tonelada para resíduos entregues na Central de Compostagem e numa tarifa a calcular para os resíduos a dirigir ao Centro de Triagem/Plataforma de Triagem, tudo dependendo do teor de rejeitados apurados nas cargas e do beneficiário das Receitas dos diferentes materiais a processar; convém notar que estes valores são valores indicativos e máximos, pelo que, em caso concreto, os valores poderão baixar…”
Na altura (em 2008) o que se ouviu por parte da Câmara é que os encargos financeiros para qualquer fórmula de adesão seriam incomportáveis para o Município e que, mesmo que a LIPOR obtivesse a tal resposta positiva do Governo para uma 3ª. Linha na Central de Valorização Energética, não haveria outra solução que não fosse a construção de um Aterro alternativo ao de Sermonde, em vias de saturação.
Não imagino se as condições, quer na LIPOR quer no Município, se alteraram. Por banda do Município, ao que se ouve e lê, o Aterro não tem mesmo alternativa. O Estudo da U Aveiro desencantou dois locais, ambos na Feira, e não descortinando um espaço lá para os lados de Gaia. Por outro lado, diz-se e até poderão ser vozes de más línguas, terá ficado acordado entre as gestões de ambos os Municípios, já em 2004 – que até haverá um documento escrito – que a Feira garantiria espaço para implantação do novo Aterro. É pena que, a ser verdade, esses documentos não sejam colocados à luz do dia. Nesse caso não se põe em causa qualquer Segredo de Justiça. Está, sim, em causa é a injustiça de um segredo guardado para defesa de quem decidiu.
Claro que todos nós temos um pouco de NIMBY (not in my back yard). Mas, dentre as alternativas possíveis, terá que funcionar o mínimo senso dos analisadores e dos decisores. Porque seria, digo eu, possível implantar o Aterro numa distância maior do EUROPARQUE do que a que vai da Várzea às Termas. E as Termas, diz o respectivo dono (a Câmara) é um centro de tratamento de doenças e de procura de bem estar.
José Pinto da Silva

www.inconfidencias-psilva.blogspot.com

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Cabecilha de burla a seguradoras em fuga há dois anos

Líder de grupo da Feira acusado de simularmais de 130 acidentes não se apresenta à GNR desde 2008

 

 

SALOMÃO RODRIGUES

Um dos cabecilhas do grupo de indivíduos acusado de ter simulado mais de uma centena de acidentes para enganar seguradoras está fugido à justiça desde há cerca de dois anos. As seguradoras pedem mais de um milhão de euros em indemnizações.

O proprietário de uma oficina de reparações mecânicas, de Lobão, Feira, é considerado um dos três "cabecilhas" de um grupo de 46 acusados pelo Ministério Público de terem simulado 138 acidentes. O arguido, de 39 anos, estava obrigado pelo juiz de instrução a apresentar-se três vezes por semana no posto da GNR de Canedo, mas deixou de comparecer perante as autoridades em Dezembro de 2008, depois de ter sido notificado para comparecer no Tribunal de Espinho para interrogatório.

Na altura, problemas de saúde foram alegados pelo advogado para justificar a ausência do arguido. Mas após essa data não terá sido mais respeitada pelo arguido a medida de coacção imposta pelo tribunal.

Mandados de captura

Em consequência do incumprimento da medida de coacção e da falta ao interrogatório judicial, que não foi justiçada com declaração médica ou de outro tipo, foram emitidos vários mandados de detenção. Contudo, as autoridades acabariam por não conseguir localizar e deter o homem, com o objectivo de o apresentar em tribunal para interrogatório.

O paradeiro do indivíduo é neste momento desconhecido, mas a qualquer momento podem ser de novo passados mandados de captura.

Outro dos indivíduos apontados como "cabecilhas" pelo Ministério Público é o proprietário de uma oficina de automóveis, situada nas Caldas de S. Jorge, e um funcionário de um stande de automóveis de Santa Maria da Feira. Já estiveram ambos em prisão preventiva, medida de coacção que foi entretanto alterada para a mera prestação de termo de identidade e residência.

De acordo com a acusação do Ministério Público, em causa está a simulação de 138 acidentes rodoviários, entre 2000 e 2006, para enganar as seguradoras.

O esquema passava por dois tipos de actuação distintos. Nalguns casos, os acidentes eram previamente combinados com os condutores das viaturas; noutros os suspeitos embatiam contra automóveis cujos condutores ignoravam que estavam a fazer parte de um esquema fraudulento. Os embates aconteciam em locais previamente escolhidos de forma a que não existissem dúvidas quanto à responsabilidade dos respectivos intervenientes.

Carros preparados

De acordo com os dados apurados pela investigação da PSP de Espinho, alguns dos veículos seriam previamente preparados com peças estragadas. As consequentes reparações eram depois pagas pelas seguradoras.

Os resultados da mesma investigação permitiram já às seguradoras lesadas a apresentação no Tribunal de Espinho de vários pedidos de indemnização aos arguidos, no montante demais de um milhão de euros. Entre as queixosas encontram-se a Fidelidade Mundial, Liberty, Alliance e Lusitânia. O início do debate instrutório está marcado para a próxima sexta-feira.

Festival de Literatura em Viagens…

imageimage 

Matosinhos acolhe, a partir de amanhã e até sábado, a quinta edição do "Literatura em Viagem", encontro que reúne mais de 30 autores de dez países

2010-04-16

SÉRGIO ALMEIDA

Principal evento literário português, a par do Correntes d'Escritas, na Póvoa de Varzim, o encontro Literatura em Viagem regressa amanhã a Matosinhos. Robert Fisk, Lázaro Covadlo, Tim Butcher e Valter Hugo Mãe são alguns dos mais de 30 participantes.

Os escritores estão em natural maioria, mas desiluda-se quem encarar o Literatura em Viagem (LEV) - organizado, à semelhança do "Correntes", por Francisco Guedes - como mais um simples encontro literário. A par de romancistas e ensaístas, encontramos na lista de convidados figuras ligadas à fotografia, música, artes plásticas, jornalismo ou ciência.

A partilha de experiências suscitadas pela viagem - encarada não apenas do ponto de vista físico, mas também como jornada interior - é o mote do LEV, que, ano após ano, vê consolidado o seu prestígio.

O número de convidados, oriundos de dez países, suplanta as três dezenas. Rostos familiares dos leitores portugueses não faltam (Francisco José Viegas, Valter Hugo Mãe, José Fanha ou Ignacio Martínez de Pisón são disso exemplo), mas há também a aposta da organização em nomes que, embora não tão imediatos, são garantia de amenos e estimulantes momentos de conversa.

É o caso do argentino Lázaro Covadlo, interessantíssimo escritor radicado em Espanha há longos anos, cujos livros, como "Criaturas da noite", exploram as fronteiras, tantas vezes difusas, ente o Bem e o Mal. Ou ainda de Tim Butcher, jornalista inglês que resolveu seguir as pisadas do mítico Stanley Livingstone, subindo, sem ajudas externas, o rio Congo. O resultado dessa experiência é relatado em "Rio de sangue", publicado, no ano passado, pela Bertrand.

Já o jornalista free-lancer, fotógrafo e investigador Joaquim Magalhães de Castro, autor do ensaio "Mar das especiarias", deverá brindar os presentes com descrições pormenorizadas sobre suas deambulações pelo globo, com destaque para o Oriente.

Até terça-feira, a Biblioteca Municipal Florbela Espanca é o epicentro de uma mão-cheia de actividades, que têm como ponto alto as mesas-redondas. Cada um dos oito painéis corresponde a um tema que, em muitos casos, serve apenas como pretexto para reunir autores com uma base profissional comum. "Viajar prolonga a vida", "Palavra a palavra viajamos", "Toda a realidade é um desejo de viagem" ou "Percebo-me viajando" são alguns dos aforismos e citações que servem como pontos de partida para as conversas, nas quais as formalidades são sempre deixadas à porta.

Um dos debates mais aguardados é precisamente o que dá inicio ao evento, às 16.30 horas de amanhã. Intitulado "Literatura e guerra", tem como figura de cartaz Robert Fisk, prestigiado correspondente de guerra no Meio Oriente que cobriu todos os conflitos da região das últimas três décadas e meia. Essa experiência encontra-se sintetizada no livro "A grande guerra pela civilização", publicado em Portugal, no ano passado, pelas Edições 70.

Mimmo Cândito (Itália), Hubert Haddad (Tunísia) e os portugueses Cândida Pinto, Carlos Vale Ferraz e José Mário Silva completam o painel.

Está decorrer, até ao dia 20, em Matosinhos, mais uma edição do LeV - Festival de Literatura em Viagens.

No dia 20, na Galeria Municipal, pelas 15 horas vou participar numa das mesas subordinada ao tema «A alegria do homem está em viajar», e às 16 horas, na Feira do Livro (Galeria Nave), farei uma palestra, juntamente com a professora Clara Sarmento, sobre a presença portuguesa na Indonésia, tendo como base o livro «Mar das Especiarias», onde aproveitarei para anunciar o lançamento do meu próximo livro, «Viagem ao Tecto do Mundo - O Tibete Desconhecido» na Feira do Livro em Liboa no início de Maio.

VIAGEM AO TECTO DO MUNDO

O TIBETE DESCONHECIDO

Joaquim Magalhães de Castro

Colecção Volta ao Mundo

Viagem ao Tecto do Mundo o Tibete Desconhecido relata-nos a viagem inesquecível que Joaquim Magalhães de Castro fez ao coração do Tibete, o Ngari. Com início na capital, Lhasa, esta intrépida aventura durou cerca de mês e meio e atravessou, em direcção a oeste, quase dois mil quilómetros dalgumas das paisagens mais inóspitas, magníficas e sagradas do planeta, de onde podemos destacar a cidade perdida de Tsaparang ou o monte Kailash e o lago Manasorovar, locais de peregrinação budista a nível mundial visitados no início do século XVII pelos jesuítas António de Andrade, Francisco de Azevedo, João Cabral e Estêvão Cacela, entre outros, pioneiros europeus nos Himalaias. De mochila às costas, viajante clandestino em algumas das regiões por onde passou e muitas vezes transportado nas caixas de camiões, o autor conheceu o Tibete mais recôndito e autêntico, o seu povo, a sua cultura, a grandiosidade dos seus palácios, templos e mosteiros, e a sua profunda religiosidade.

sábado, 17 de abril de 2010

Junta de Freguesia Assaltada…

O estaleiro da Junta de Freguesia foi assaltado, e ao que parece foi avultado o prejuízo.

Segundo o blog sabe, até uma máquina nova que estava a ser experimentada foi roubada, o que pode estranhar à maioria das pessoas este assalto, ao Blog era só uma questão de tempo…

É que o estaleiro mais parecia um centro comercial, onde toda a gente se podia servir, chegando ao cúmulo destes dias até irem particulares rachar lenha lá para dentro, o que leva a que as pessoas se tentarem a roubar.

Mas como diz o velho ditado, casa roubada trancas à porta…

Rua da ROTUNDA…

IMAGE_060[1] IMAGE_058[1]IMAGE_059[1] IMAGE_061[1]

Estas fotos foram enviadas por um cidadão morador da rua, descontente com o estado degradado da rua.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Presidente da Junta José Martins quer Lixeira nas Caldas de S. Jorge !!!?

O Blog soube que José Martins, Presidente da Junta foi contra a realização de uma Assembleia Municipal especificamente sobre o lixo. Segundo foi constatado até o Presidente da Junta de Canedo assinou. José Martins não quis a realização desta Assembleia, que tem como único objectivo a discussão da vinda da mesma para Caldas de S. Jorge.

Não deixa de ser curioso, após a acusação do candidato da CDU ter dito que José Martins já sabia da vinda da lixeira, como tinha concordado com ela. Esta posição vem reforçar que o Presidente da Junta apoia inequivocamente a vinda da mesma para Caldas de S. Jorge.

Porque razão nunca mais tomou posição sobre a lixeira?! Quando tinha dito que colocaria faixas contra a mesma???

Segundo o Blog sabe existe grandes movimentações por parte de uma unidade hoteleira (Pedra Bela), para a não construção da lixeira na várzea, mas parece que existe movimentações por parte da autarquia em sentido contrário!!!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

94.608.000 seg

"Noventa e quatro milhões, seiscentos e oito mil segundos depois...Caldas de S. Jorge está... diferente. Para melhor.

O www.caldas-são-jorge.blogspot.com entrou pelas nossas casas “adentro”. Deu-nos notícias boas e menos boas, fez humor e gerou polémicas, foi motor para sólidas amizades e causou desentendimentos, trouxe conhecimento e fez conhecer novos desafios. Ajudou a celebrar Abril.

Evidentemente que há, nestas coisas da blogosfera, um misto de democracia e de impunidade face a posições e/ou comentários sem identidade e sem rosto que, não raras as vezes, promovem ataques ferozes aqueles que, de uma ou de outra forma, se destacam no panorama social da freguesia. Claro que não nos revemos nesta última forma de fazer critica ou de ajuste de contas.
Mas, como em tudo, as coisas tenderão a melhorar.

Porque as pessoas se vão conhecendo e porque, nada faz calar a verdade.

Como dizia José Afonso: “seja bem vindo quem vier por bem”...


Post Scriptum: Parabéns a todos os que tornaram e tornam possível o caldas-sao-jorge.blogspot, com especial referência ao ATM e, principalmente, ao AMMC, pelo pioneirismo e dedicação. "


In http://www.certasconfidencias.blogspot.com/

O Blog faz 3 anos de existência…

 

É… nem estou acreditando que consegui sobreviver a 3 longos anos sentada em frente ao computador pensando todo santo dia que raios eu vou postar hoje? Quer queira quer não essa é a máxima de todo blogueiro mesmo aquele que consegue escrever pelos cotovelos.

Mas aos trancos e barrancos continuo aí. Vi vários blogs começarem junto comigo e desaparecerem. Vi várias pessoas comentarem quase que diariamente depois desaparecerem porém dando lugar à outras. Vi blogs que começaram bem depois de mim e já estão anos-luz à frente e outros que já existiam muito antes de mim e continuam soberanos.(texto copiado por falta de tempo)

sábado, 10 de abril de 2010

AS INTRIGAS DO ZOUVINEIRO !!!

“Vamos reciclar no aterro” a “ Estupidez” de algumas professoras a leccionar nas Caldas de S. Jorge…


Não é que chega estes dias os meus filhos a dizer que a professora esteve a “introduzir” na mente das crianças que os aterros são uma coisa boa!!!
E que a vinda deles para Caldas de S. Jorge era positivo e não trazia consequências ambientais!!!

Não sei bem quais as qualificações desta professora, mas é nestes casos que havia de haver uma fiscalização da qualidade educativa que está neste momento a circular em Caldas d S. Jorge. Não querendo colocar todos os professores no mesmo saco, acho que os pais deviam-se mostrar preocupados com ensino desta qualidade.


Mais grave é dizer que não trás odores!!! Não sei que perfume essa dita professora usa, mas gostava de saber onde compra, para lá não ir ao engano…

O vosso amigo e ausente Zouvineiro.

Relatório Final_Novo Aterro SULDOURO

Exmos Srs

Foi anunciado no Blog "novo-aterro-suldouro", que está disponivel para consulta, o Relatório Final de selecção dos locais alternativos para o novo Aterro Sanitário da SULDOURO, o qual considera que, Caldas de S.Jorge/Pigeiros e  Canedo, ambos no concelho de Santa Maria da Feira "(...) são igualmente válidos e reúnem as características adequadas para a construção de um aterro de deposição de resíduos urbanos(...)", e que "(...)o processo de selecção dos locais viáveis garante o cumprimento dos objectivos de sustentabilidade propostos(...)". E acrescenta ainda: "Há assim, na etapa seguinte, que desenvolver um projecto que por si só permita minimizar muitos dos impactes e riscos que preocupam as populações e, paralelamente, desenvolver um processo de avaliação de impacte ambiental rigoroso que contribua para a selecção da melhor alternativa".

Perante estas conclusões absurdas, haverá que encontrar formas de luta mais efectivas, que permitam sensibilizar os agentes locais, regionais  e nacionais, para os impactes ambientais negativos que estas opções implicam, e que, inclusivamente, são contraditórias com o Plano Estratégico de Ambiente da Área Metropolitana do Porto – “Futuro Sustentável”, que o próprio Município da Feira subscreveu.

Com os melhores cumprimentos,

José Bento

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Nova Páscoa… nova vida !!! Novas vidas nascem como guardiões !!!


Nova Páscoa… nova vida !!! Novas vidas nascem como guardiões!!!!
do Novo Ilha – Bar ( ZIP ZIP REST CAFFE) a inaugurar proximamente.
nos inícios de Maio.
Sete vidas, sete virtudes, sete gansinhos: Tony, Linda,Zé,Lito,Tinha,Pipi e Susy.
São estes os seus nomes a admirar e a proteger.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Uma vez mais se cumpriu a Tradição e Devoção… na Vila Termal de Caldas de São Jorge !!!

Uma vez mais se cumpriu a Tradição e Devoção… na Vila Termal de Caldas de São Jorge !!!
Uma Quaresma no âmbito da Missão 2010
Na Vigararia de Santa Maria da Feira
e Diocese do Porto
decorreu com todo o empenho  
e participação a  Semana Santa 
e Tríduo Pascal
na Igreja Matriz da Vila Termal de Caldas de São Jorge!
 De salientar a Quinta-feira Santa,
A Sexta-Feira Santa
E o Sábado com a Vigília Pascal
A culminar com a  tradicional Eucaristia da Ressurreição!!!
E histórica Procissão tendo
 como corolário a Visita Pascal ou Compasso
Não obliviscando, esquecendo  o Repasto - Convívio 
oferecido pelo Senhor Juiz da Cruz
 
O  Senhor Jacinto de Arcozelo ladeado
pela Sua Esposa Dona Fátima
e filhaDoutora Teresa
Não esquecendo futuro Juiz da Cruz António Pinho
e sua Esposa Dona Fernanda
E o sequente Juiz da Cruz
da Localidade de Azevedo o Senhor António Pinheiro 
e sua Esposa Dona Lurdes.
Para repetir e não perder!!!!
PARABÉNS A TODOS!!!

Teatro à Roda


No próximo sábado, dia 10 de Abril, pelas 21h 30m o grupo: Os Velhos de Milheirós de Poiares apresenta no salão paroquial da nossa freguesia a peça "Inocêncio em Pessoa".

A Associação Juventude Inquieta, no âmbito da iniciativa Teatro à Roda, convida todos os que gostem de dar uma boa gargalhada a comparecer.

A entrada é livre. Não perca esta oportunidade!

Valorize a nossa cultura!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Cidadãos de Caldas de S. Jorge boicotam Termas em forma de protesto contra a lixeira…

page38b 

Vários cidadãos de Caldas de S. Jorge, estão a boicotar os tratamentos nas termas de S. Jorge como forma de protesto contra a lixeira, e o silêncio das Termas sobre esta situação.

O Blog sabe, que várias pessoas da freguesia, que todos os anos recorria a esta estância Termal, têm-se deslocado a outras paragens. A confiança na qualidade passou a ser posta em causa, a quando do anúncio de um possível aterro perto das águas termais, sem que a empresa gestora se manifestasse contrária a tal decisão.

Mais grave neste momento, as termas de S. Jorge estarem a presidências a associação das termas de Portugal, fazendo levantar a seguinte questão;

Se não são capazes de defender as suas próprias termas, como poderão defender as dos outros???

O blog sabe que entre estas várias pessoas que estão a boicotar as termas, está o ex presidente da Junta de freguesia e actual membro da Assembleia, Hermínio Mota.

sábado, 3 de abril de 2010

Um Protesto da População de Azevedo, Pigeiros e não só!!!

Um Protesto da População de Azevedo, Pigeiros e não só!!!
Uma Curva em Cruzamento-Entroncamento apertados de Vias,
Ruas e Estradas tanto Nacionais como Municipais e Locais põe o Credo na boca
e o coração no Cérebro na manobra de entrada na Estrada de Azevedo
para a Estrada Nacional 223.
Solução: 1 - Rompimento e desvaste da área que oculta (montículo fronteiro) a estrada deixando-a ao nível da visão humana do condutor.
2 – Feitura de uma Rotunda que resolveria o problema!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Quilómetros no meio do verde

Passadiço em construção será o primeiro passo do maior parque natural do Grande Porto.

A Câmara da Feira começou a construir um passadiço junto às margens do rio Cáster com quatro quilómetros de extensão e integrado numa imensa área verde. É o primeiro passo para a criação daquele que será o maior parque natural do Grande Porto.

A paisagem é deslumbrante. Ao chilrear constante dos pássaros que salteiam frenéticos de ramo em ramo junta-se o som de pequenas linhas de águas e do rio Uíma, que serpenteia um cenário em tons de pastel onde o verde das árvores e a vegetação singular dão vida a uma imagem digna de um bilhete postal.

O Lugar da Preta, na freguesia de Fiães, Feira, tornou-se no ponto de partida para a construção do primeiro quilómetro do passadiço em madeira destinado a percursos pedonais e de ciclovia junto às margens do Uíma. Estará concluído em Junho próximo, se o clima não atrasar os trabalhos. Numa segunda etapa, que deverá arrancar em 2011, a estrutura estender-se-á até aos quatro quilómetros, chegando à confluência das freguesias vizinhas de Lobão e Sanguedo. No total, o investimento é de 800 mil euros.

O local onde a há quatro décadas os adolescentes transformavam as pequenas represas do Uíma em piscinas improvisadas promete agora renascer e reavivar as memórias de tempos idos. "È um património muito bom que aqui temos. Um cenário natural único, que pretendemos valorizar e colocar á disposição da população", referiu o vereador das Obras Municipais e responsável pelo projecto, Emídio Sousa.

A ambição é cobrir os 16 quilómetros em que o rio Uíma atravessa o concelho de Santa Maria da Feira, ao longo das freguesias de Canedo, Vila Maior, Sanguedo, Fiães, Lobão, Caldas de S. Jorge, Pigeiros, Escapães e Arrifana.

"É um projecto para durar vários anos", afirmou o vereador, lembrando que a Autarquia tem encontrado algumas resistências. "Além dos custos, as maiores dificuldades prendem-se com direitos de passagem e aquisição de terrenos. São muitas pessoas e, quando se apercebem do interesse da Autarquia, têm tendência a pedir preços elevados", atentou.

"A primeira fase do passadiço já estaria concluída há dois anos se não fossem as dificuldades com os terrenos", acrescentou, salvaguardando, contudo, que até há quem ofereça parcelas.

O passadiço tornou-se o mote para a criação daquele que, segundo o autarca, será o maior parque natural do Grande Porto, com 400 hectares. O Parque das Ribeiras do Uíma (designação provisória) irá abranger uma área entre Fiães e Lobão. Estão já a ser adquiridos terrenos. Emídio Sousa garantiu que serão necessárias apenas pequenas infraestruturas de apoio aos visitantes. "Os proprietários de alguns moinhos serão incentivados a recupera-los e a transforma-los em pequenos bares. Queremos ainda criar alguns campos de jogos informais", exemplificou.

SEGUIR O BLOG POR E-MAIL